Trufas de tâmaras, tahine e cardamomo

Antes de começar preciso avisar que os puristas, doceiros e aqueles que acreditam no poder salvador do chocolate ficarão meio de mal de mim depois dessa receita. Também sei que vai parecer coisa da filha do Gil, mas… me dá uma chance? ;)

Essa receita foi inspirada em um post no Instagram da Nadia, uma iraquiana que vive na Inglaterra e tem um blog escândalo de lindo. Uma trufa zero açucar que me encheu os olhos e me deixou intrigada – tahine? na trufa? A única maneira de saber se era bom era testando, e foi isso que fiz. Desde então, acabei alterando um pouco a receita e hoje trago a versão final, uma opção bem gostosinha para quem reduziu ou cortou açucar ou apenas para quem não quer jacar loucamente durante a semana. Eu, avessa a doces e não tão fã de chocolate, curti. Abra sua mente e vem comigo…

Para a base da trufa você vai levar ao processador: 200gr de grão de bico cozido e escorrido (usei o de caixinha), 1 xícara de tâmaras sem caroço (se ela estiver durinha, deixe de molho em água fervente por 15 minutos antes) e 4 colheres (sopa) de tahine (pasta de gergelim). Basta processar até obter uma massa homogênea.
Coloque a massa obtida em uma tigela e junte 2/4 xícara de farinha de aveia, 4 colheres (sopa) de cacau em pó e 1/2 colher (chá) de cardamomo em pó e misture bem. Usei um tico de nibs de cacau, mas é opcional e só para quem curte um amarguinho (eu!).

***
um alerta amigão:
Como você notou, essa trufa não tem açucar e, portanto, não é doce. O doce dela vem da tâmara e só. Então, se você espera aquela doçura de uma trufa, talvez essa receita não seja pra você. Porém, se quiser dar uma chance mas preferir algo um pouco mais doce, acrescente um bocadinho de açucar de coco ou use um chocolate em pó meio amargo ou normal. Aqui usei cacau, que também é zero açucar.
Depois não diga que não avisei, ok? ;)

***

Voltando à trufa. Com a massa bem homogênea modele as bolinhas e finalize passando pelo cacau em pó (ou chocolate em pó, se estiver usando).
A finalização também rola com castanha triturada (na da foto usei amêndoa mas pode ser nozes, pistache, avelã), coco ralado, nibs de cacau triturado (para os ousados) e até mesmo gergelim, como na receita original da Nadia.

Fácil, não é? Gosto dela geladinha mas vai bem em temperatura ambiente, acompanhando o cafezinho ou até numa sobremesa para o pessoal mais fitness (que não é o meu caso, cof, cof, cof).

Quem fizer volta aqui pra me contar o que achou?
#trufa #zeroaçucar #chocolatefitness 

Carpaccio de abobrinha

Tantas coisas a dizer sobre essa receita! A primeira é que é muito estranho que ela ainda não estivesse por aqui a julgar pela quantidade de vezes que ela aparece em casa. A segunda é que esse prato tão simples entrou na minha vida através da LeBox laááááá em 2013, através de um kit que a empresa me enviou e, desde então, reproduzo sempre que me dá vontade de uma coisinha leve e gostosa. A terceira é que esse carpaccio é sucesso ABSOLUTO entre o pessoal que frequenta minha casa e que sempre acaba levando a receita ou a inspiração – ou seja, já é um prato que todo mundo reproduz do seu jeito.

A quarta e última (mas não menos importante) coisa a dizer é que, se essa receita está aqui hoje, a “culpa” é da minha amiga Jacque, que provou o prato em casa, mudou para terras mineiras e volta e meia me pede a receita pelo Whatsapp,  já-que-ela-não-está(estava)-no-blog! (sempre em tom de bronca, claro…rs). Jacque, te amo, e cá está ela! Com medidas e tudo! <3

Chega de firula e vamos à receita. A primeira coisa é cortar a abobrinha italiana em fatias bem fininhas – eu uso aquele cortador que já mostrei aqui e consigo lâminas bem finas., mas não tem problema nenhum usar uma faca – só não corte fatias muito grossas pois a abobrinha é servida crua. Disponha as fatias em um prato e reserve.
Agora é hora de preparar o molho: em uma tigelinha misture (para 1 abobrinha média): 1 colher (sobremesa) de mostarda dijon, suco de 1 limão pequeno (ou 1/2, se for grandão – se for siciliano, melhor ainda) e umas 3 colheres (sopa) de azeite. Misture bem, junte 1/2 cebola roxa picada e volte a misturar.

Coloque o molho sobre as fatias de abobrinha e finalize com cebolinha picada, lascas de parmesão (opcional, pode tirar, mas dá um tchans!) e amêndoas laminadas torradas.

carpaccio_abobrinha2

Pronto! Sirva em seguida e espere os elogios ;)

Bolo de chocolate com ganache e morangos

Eu volteeeeeiiiii…

Teve férias na Itália, passagem pelo Rio de Janeiro, teve muito trabalho antes e depois das benditas férias, teve aniversário, teve um bocado de coisas que acabaram me tirando daqui por um tempo, mas o importante mesmo é que, para alegria de uns e tristeza de outros, eu tô de volta! ;)

Resolvi voltar com um bolo que bati para o meu aniversário – bolo pra dois, porque esse ano não rolou fexxxta. Chocolate, mais chocolate no recheio e na cobertura e morango. Não tem como dar errado, tem? Mais do que a receita (que é a mais simples da vida), fica aqui a ideia para um bolinho um pouco mais estiloso, naked, aquela coisa toda. Não sou grande boleira, muito menos confeiteira, vocês sabem… então, vamos focar apenas na inspiração, e vocês capricham mais por aí. Combinado?

Para o bolo a gente bate 4 gemas com 1 1/2 xícara de açucar até ficar branquinho. Junte 1 xícara de leite e bata novamente. Daí vai acrescentando aos poucos 2 xícaras de farinha de trigo peneirada com 4 colheres (sopa) de chocolate em pó. Junta uma pitadinha de sal e, delicadamente, incorpora as claras batidas em neve. Por fim, 1 colher (sopa) de fermento em pó.

Asse o bolo em forno pré aquecido (200C) por uns 40 minutos ou até passar no teste do palito. Eu assei em forma retangular e depois dividi em duas partes, mas você pode usar forma redonda, de furo, como quiser.

Para recheio e cobertura…

Fiz uma ganache de chocolate usando 1 tablete grande chocolate meio amargo derretido misturado com 1 lata de creme de leite. É só derreter o chocolate em banho maria ou microondas e misturar com o creme de leite. Eu juntei uma dosinha de conhaque porque, bem… pq era meu aniversário :)

Os morangos eu piquei (duas caixas), coloquei numa tigelinha, juntei 1 colher (sopa) de açucar e uma dose generosa (cof, cof, cof) de vinho do Porto, porque…. bem, porque eu achei que vinho do Porto ornava (rs), mas você pode limar todo o álcool da receita se quiser (quer?).

O morango tem que ficar na tigela por um tempinho – devo ter deixando um pouco mais de meia hora – pra que ele solte um caldinho. Com esse caldo você vai regar o bolo (faz uns furinhos com o palito).

Se você tiver feito um bolo redondo, é só cortar ao meio para poder rechear. Regue a metade de baixo com o caldo dos morangos, coloque uma parte da ganache e por cima os morangos picados. Coloca a outra metade de bolo, rega com mais calda e finaliza com o restante da ganache e alguns morangos inteiros  – eu ainda usei raspinhas de chocolate e amêndoas porque, como vocês notaram, eu estava impossível :))))

Não ficou fofo?

Agora, já que acabou a folga é hora de voltar à rotina. Falta muito para as férias de 2017? ;)

 

Muffin integral de quinoa e alho-poró

Na cesta de orgânicos da semana vieram uns alhos-porós pequenininhos, coisa linda e super macios. Fiquei matutando que eles eram tão lindos que deveriam ganhar uma receita só pra eles, sabe assim? Não só um refogado, mas uma coisa um pouquinho mais elaborada :)

Foi então que decidi transformá-los em muffins, que renderam um belo jantar. Usei farinha integral, aveia e quinoa e, apesar de ficar parecendo comida da filha do tropicalista (VRÁ!), garanto pra vocês que foi um sucesso total – os danados ficaram realmente gostosos, macios e bem temperados e foram devorados numa tacada só. E nem deu trabalho, saca…

A primeira coisa que fiz foi cozinhar cerca de 1/2 xícara de quinoa (já falei sobre o processo aqui ó). Depois, refoguei o alho-poró picado (cerca de 1 xícara) em azeite, alho e cebola, juntei 2 colheres de palmito picado, pimenta biquinho também picada, a quinoa cozida, raspas de limão siciliano (só pra dar um xêro) e temperei tudo com sal e pimenta.

muffin_alhoporo_quinoa_4

Para fazer a massa misturei em uma tigela 3 ovos, 2 colheres de manteiga amolecida, 1/2 xícara de farinha de trigo integral, 1/2 xícara de aveia em flocos, sal e 1 colher (sopa) de fermento em pó. Depois de misturar tudo muito bem, é só juntar o refogado e colocar nas forminhas – eu tinha 6 unidades de silicone e usei mais duas panelinhas (neste caso, untadas e enfarinhadas). Ao todo, essa receita rende uns 9 muffins.

muffin_alhoporo_quinoa_3

muffin_alhoporo_quinoa_5

Basta levar ao forno pré aquecido (180C) e assar por uns 30 minutos, ou até dourar.
Ah, se quiser coroar com queijo ralado antes do forno, vai ficar coisa de Deus também.

As forminhas de silicone são incríveis porque você desenforma lindamente os muffins, coloca em um prato, inclui uma salada bem caprichada e pronto! Um jantar levinho e super delícia.

muffin_alhoporo_quinoa_2

muffin_alhoporo_quinoa_1

Bolo de coco com cobertura crocante de chocolate e nozes

Nada como um domingo chuvoso para despertar aquela vontade de bolo com café fresquinho. E aqui tem chovido a beça! E a dieta… bem, nós estamos postergando para depois da Páscoa … cof, cof, cof.

Então, já que não há impedimentos, vamos ao bolo! Esse é daqueles fofuxos, levinhos e ótimos para servir com ou sem cobertura. Eu optei por uma cobertura de chocolate e nozes, porque né? Já falei que a dieta está pos-ter-ga-da #prioridades :)

Para o bolo:

Coloque na batedeira 50gr de manteiga, 3 colheres (sopa) de óleo de coco e 1 xícara de açucar (eu uso um pouco menos porque não curto bolo muito doce) e bata até ficar um creminho. Acrescente um a um 3 ovos (inteiros) e bata bem. Junte 3/4 xícara de leite de coco e 100gr de coco ralado (cuidado que tem coco ralado que já tem açucar!) e continue batendo. Agora é só acrescentar 1 1/2 xícara de farinha de trigo e bater até tudo estar bem misturado. Desligue a batedeira e junte 1 colher (sopa) de fermento em pó e agregue com a colher, misturando bem.

Coloque a massa em uma fôrma de buraco untada com óleo de coco e farinha de trigo e leve ao forno pré aquecido (180C) por 40 minutos ou até passar pelo teste do palito.

Para fazer a cobertura:

Leve ao fogo 1 caixinha de creme de leite, 1 colher (sopa) de açucar (ou mais, se você for do tipo formiga), 3 colheres (sopa) de chocolate em pó e nozes picadas (algo perto de 1 xícara ou um pouco menos). É só deixar cozinhar uns 5 minutos e jogar quente por cima do bolo.

Sirva com café na hora em que sua amiga querida chegar (beijo, Aline!). Receber amigas com bolo feito em casa é muito <3

Gelatina & Iogurte

Publiquei essa foto no meu Instagram e o pessoal pediu a receita. Na verdade, não dá nem pra chamar de receita, gente. Isso nada mais é do que uma sobremesa levinha, levinha, com cara de verão e feita com gelatina e iogurte, em camadas :)

O lance é preparar cada pacotinho de gelatina em duas etapas: divide o conteúdo da embalagem em duas partes iguais. Uma você prepara como manda a embalagem (usando metade da quantidade de água, óbvio). A outra parte você prepara usando água quente e, no lugar da água fria, use iogurte natural (pode ser desnatado). A cor vai ficar mais opaca, como você vê na foto.

A parte chatinha é que tem que preparar, levar pra gelar e só quando estiver um pouco firme, preparar a camada de cima. Mas também, nada de outro mundo, vai? Vale a pena pra dar uma bossa ;)

 

Bolas de Natal de Chocolate recheadas com Ganache

Quem aí ama o Natal? E quem também ama chocolate?
E se a gente fizesse bolas de natal de… chocolate, pra servir de sobremesa na ceia e arrasar loucamente? Aquela mesa destruidora, enfeitada com bolas perfeitas feitas de chocolate recheadas com uma ganache cremosa e crumble de cacau? Lacraremos, não é?

Pois eu estive em uma aula com o chef francês Bertrand Busquet (phyna!) na Chocolate Academy da Callebaut em São Paulo e aprendi a fazer essas lindezas, que agora vou mostrar para vocês. Já aviso, não é a coisa maaaaaais fácil do mundo, mas o resultado final é tão lindo que você nem lembra mais aquele trabalhinho que deu. Confia em mim. Segura na minha mão e vamos ver como fazer essas belezuras…

1 – Primeira coisa: o chocolate.
Preciso nem dizer né? Chocolate bom faz toda diferença. E aí vai do tu gosto – ao leite, meio amargo, amargo… você decide, mas invista em um chocolate de qualidade.

2 – Temperando o chocolate.
Aí é que mora todo o pulo do gato! Temperar o chocolate quer dizer que você vai derretê-lo e depois resfriá-lo lenta e adequadamente até a temperatura perfeita para que possa ser utilizado nas receitas. Essa técnica é essencial para garantir o resultado final: textura e brilho corretos, secagem rápida e melhor conservação.Para derreter o chocolate, o processo pode ser feito no microondas ou no fogão, com uma panela de água fervente e uma tigela de vidro por cima (maior do que a panela). Se utilizar o microondas, é importante fazer o processo aos poucos: coloque o chocolate em uma tigela e leve ao microondas por pouco tempo (quanto menor a quantidade de chocolate, menor ainda o tempo) e vá fazendo isso a cada 30 segundos por exemplo. Tira a tigela, mexe para incorporar e veja se já derreteu bem. O detalhe importantérrrrrimo: a temperatura final deve estar entre 40 e 45C – nem menos, nem mais (isso para chocolate ao leite, ok?)! Um termômetro culinário vai ser ser maior amigo nessa hora.

Vale dizer que a maior parte das embalagens de chocolate para fins culinários traz na embalagem a informação sobre a temperagem. Consultar o site do fabricante também ajuda. Se não tiver essa informação em nenhuma lugar, troca de marca, pelamor!

3 – Temperando o chocolate na pedra de mármore.
Acho que é o método mais acessível de todos que aprendi na aula. Depois de derretido, o chocolate vai para uma pedra de mármore (a bancada da sua cozinha, por exemplo) e é aí que você vai começar a resfriá-lo com a ajuda de uma espátula. Para isso, o segredo é mexer – espalha, junta, espalha, junta e assim vai.Você precisa chegar a uma temperatura de 27 a 28C. Só que não acabou! Agora que você chegou nessa temperatura, precisa reaquecer até chegar a 31C (no máximo 32). Essa curva de temperatura é importante para garantir um chocolate fácil de trabalhar. Coloque o chocolate derretido de volta na tigela e reaqueça muito ligeiramente, controlando sempre a temperatura. Chegou em 31C está pronto para usar. Ufa! Ok, foi meio treta, mas pense que você não faz isso todo dia, então de vez em quando vale o esforço :)

bolas_Natal_chocolate_pap1

Muito bem, agora que o chocolate está temperado e pronto para usar, vamos fazer as bolas (uhu!)…

Você vai precisar de um molde de esfera (o chef indicou a de policarbonato, mas existem opções de silicone também). Para fazer uma bola de chocolate simples, basta colocar o chocolate temperado no molde, virar para retirar o excesso e pronto. Já para fazer essa belezura vermelha e dourada linda de viver, o truque é usar primeiro uma camada de manteiga de cacau com corante (da cor que você quiser). Precisa pincelar essa manteiga colorida no molde, sem preencher totalmente o espaço. O lance é mesmo deixar esses espaços vazados porque aí vem o trucão glam: pó comestível dourado! Ele vai ser pincelado por cima da manteiga de cacau e vai dar o efeito natalino que a gente quer.
Feito isso, é bom secar um pouco  então acrescentar o chocolate. O restante do processe é o mesmo – vira o molde e escorre o excesso.

Agora suas esferas vão secar. O tempo que isso vai levar depende de um monte de fatores, inclusive do clima. Está pronto quando o chocolate estiver completamente seco e você conseguir desmoldar com facilidade.

A base das bolas de Natal está pronta e o próximo passo é criar uma base para mantê-la em pé (um pouquinho de chocolate derretido e a metade da esfera por cima. Isso vai deixá-la firme e pronta para receber o recheio. Na aula, recheamos as bolas com uma ganache de amburana e raspas de laranja que ficou divina e por cima um crumble de cacau, igualmente divino. Mas você pode usar qualquer outro sabor, ok? Mousse de maracujá, ganache com castanhas… o que você quiser.

bolas_Natal_chocolate_pap2

Para finalizar a bola, moldamos as argolinhas com chocolate plástico, uma opção muito mais bacana do que a boa e velha pasta americana. Ela é fixada na bola com um pinguinho de chocolate derretido.

O recheio portanto vai apenas na metade de baixo da esfera e a bola é finalizada com outra esfera onde está fixada a argolinha.

Tem essa esfera rendada linnnnnnnnnnnda. Ela é feita com um saquinho de confeitar – um pouco de chocolate dentro e no molde você começa a fazer um desenho, sem preencher todo o espaço. É isso que vai criar esse efeito rendado :)

bolas_Natal_chocolate_pap3(coisa linda de viver!) 

As receitas da Ganache Brazil, do Crumble de Cacau e do Chocolate Plástico estão aqui embaixo.

ganach_brazil

crumble_cacau

chocolate_plastico

Torta de Frutas

Quando preciso escolher uma sobremesa minha preferência sempre são receitas à base de frutas. Como eu não sou uma grande doceira, se a receita for fácil de preparar, melhor ainda :)
É o caso dessa torta, feita com massa de biscoitos e manteiga Lurpak, super simples de fazer, sem sova e com resultado super gostoso.

PR-Lurpak_TortaFrutas_003

Para a massa…

Escolhi um biscoito simples (200gr), do tipo maizena, mas você pode usar um biscoito de leite, aveia e até mesmo um integral. Tudo que você tem a fazer é processar o biscoito até obter uma farofa fina. O próximo passo é adicionar 4 colheres de sopa de manteiga Lurpak sem sal amolecida (nem precisa ser derretida) – eu usei uma das marcas de manteiga mais famosas do mundo, presente em mais de 100 países desde 1901 e que chegou recentemente ao Brasil, a dinamarquesa Lurpak. Em uma receita tão simples, vale a pena investir em bons ingredientes, que fazem toda diferença no resultado final, vai por mim. Com as mãos, é só misturar a manteiga ao biscoito até formar uma farofa úmida. Com ela, você forra o fundo e as laterais de uma fôrma de fundo removível, cubra com papel manteiga e feijões (pra fazer peso e impedir que a massa cresça dentro do forno) e leve ao forno médio pré aquecido por 10 minutos.

PR-Lurpak_TortaFrutas_004

Para fazer o creme…

Em uma panela misture 1 lata de leite condensado, 2 ovos, 500 ml de leite, 2 colheres de sopa de amido de milho (dissolvido em pouco do leite), uma fava de baunilha (ou 1 colher sopa de essência) e cozinhe, mexendo sempre até engrossar.

(olha o trucão!) Quando tiver engrossado, transfira para uma tigela e cubra com filme plástico. Isso impede que o creme crie uma película ao esfriar.

Quando a massa e o creme estiverem frios, é hora de juntar tudo. Coloque o creme por cima da massa assada e finalize com as frutas. Usei manga e pêssego, que são algumas das minhas frutas favoritas, mas você pode utilizar as de sua preferência – frutas vermelhas, kiwi, uvas… basta cortar em fatias e dispôr por cima do creme.

A torta deve gelar por umas 3 horas pelo menos antes de ser servida.

PR-Lurpak_TortaFrutas_002

Para saber mais sobre a manteiga Lurpak, clique aqui.

#boacomidamerece #façasuamágica #lurpakbrap


Polenta com ragu de cogumelos

Ragu vem da palavra francesa ragoût e, apesar da origem, lembra mais os ensopados italianos, encorpados e com longos cozimentos. Eu sei que ragu com polenta é uma combinação que já virou clichê – está nos eventos, nos realities culinários, nos programas dos chefs, em toda parte, mas o fato é que, apesar do clichezão, a combinação é mesmo muito boa. E para alguém como eu, que AMA polenta, é um casamento super feliz. De modos que, dane-se o clichê, não é messs? ;)

Você pode preparar diversos tipos de ragu – de carne, frango, legumes, frutos do mar e até de cogumelos que, neste caso, dispensa o longo cozimento e é super prático de fazer. Vem comigo…

A primeira coisa é escovar os cogumelos (eu não lavo cogumelos) e cortá-los. Aqui usei shimeji, mas pode ser qualquer outro de sua preferência. Depois é só dourar alho e cebola com um pouco de manteiga. Nessa hora, é bom juntar uma colher (chá) de farinha de trigo e deixar dourando junto. A farinha ajuda a deixar o molho mais encorpado. Quando estiver dourado, é só juntar os cogumelos e mexer. Pra ser um bom ragu é bacana usar um pouco de vinho – além de adicionar sabor e acidez, ele vai desgrudar tudo que está no fundo da panela e deixar o molho perfeito. Pode ser o tinto ou o branco, você escolhe – lembrando que o álcool mesmo vai evaporar, ok?

Tempere o ragu com sal e pimenta e cozinhe por uns 4 minutos, no máximo. Cogumelo não precisa de muito cozimento. Na hora de finalizar, uma boa colherada de manteiga e cebolinha picada. É só servir por cima da polenta e ser feliz :)

polenta_ragu_cogumelos_pap

Fica gostoso servir ragu com purê também #fikdik

***

Eu já mostrei como fazer polenta na panela de pressão aqui ó.

Quiche semi integral de brócolis e aspargos

Quer um coringa para o cardápio da semana? Aposte na quiche! Além de ter um preparo simples, você usa os ingredientes que estiverem dando sopa na geladeira e, com uma saladinha pra acompanhar, já garante o almoço ou jantar. Se for receber alguém em casa, também é uma ótima pedida.

Essa massa é semi integral – usei partes iguais de farinha de trigo comum e integral, mas nada impede que você utilize só uma delas.

Para fazer a massa:

Peneire 1 xícara de farinha de trigo comum e 1 xícara de farinha de trigo integral em uma tigela. Acrescente uma colherzinha de café de sal e misture. Agora é só juntar mais ou menos 1/2 xícara de manteiga gelada e ir misturando com a ponta dos dedos até formar uma farofa grossa.
Nessa altura, junte aos poucos cerca de 1/3 xícara de água. Vá juntando devagar e misturando a massa. O ponto é quando ela estiver homogênea e você conseguir moldar uma bola. Enrole essa massa em plástico filme e leve à geladeira por uns 30 minutinhos – tempo suficiente para você preparar…

O recheio:

Refogue alho e cebola a gosto em um fio de azeite. Junte 3 xícaras de brócolis picadinho. Mexa e cozinhe ligeiramente – uns 3 minutinhos. Se for preciso, coloque um pingo de água até atingir o ponto – nada de cozinhar loucamente o brócolis! Ele ainda deve ficar crocante.
Tempere com sal e pimenta do reino moída na hora, desligue o fogo e reserve.

Em uma tigela coloque 3 ovos e 1/2 xícara (chá) de leite. Bata bem. Junte 1 xícara (chá) de parmesão ralado (eu usei um pouco de parmesão e um pouco de minas padrão), uma pitada de noz moscada ralada, sal e pimenta do reino. Acrescente o brócolis refogado e misture tudo. Eu tinha ainda um pacotinho de pontinhas de aspargos (adoro!) que apenas passei pela frigideira com um fio de azeite, sal e pimenta e usei por cima do recheio.

Montando:

Abra a massa com um rolo e forre o fundo e as laterais de uma fôrma de fundo removível (vocês podem notar que eu não tenho muita paciência nessa etapa… rá!). Coloque o recheio por cima e leve ao forno pré aquecido (uns 200C) por 40 minutos ou até que a quiche esteja dourada.

Nem preciso dizer que você pode fazer suas alterações né? Escarola, alho poró, cenoura raladinha… também dá para substituir o parmesão por ricota, para uma quiche mais levinha. Pode fazer que é sucesso :)

quiche_semiintegral_aspargos_brocolis_cortada

Ceia de blogueiras

Oi gente! E o Natal? Todo mundo sobreviveu, se empanturrou de comida e esteve perto dos amados, como todo Natal devia ser? Por aqui foi assim <3

Bom, a notícia hoje é que fui convidada pelo O Globo a fazer uma receita que fosse tradicional no meu Natal para uma matéria para a revista O Globo A Mais. Depois de muita indecisão, escolhi a Mousse de Chocolate (que já está aqui no blog), uma receita que aprendi com a sogra logo que me casei e que, desde então, não falta em um Natal sequer em minha casa (só alterei a quantidade de açucar ao longo dos anos – cada vez dimimuindo mais, rs).

Além de mim, participam da matéria as blogueiras Flora Refosco, Luanda Gazoni e Letícia Massula, com receitas deliciosas que você ainda pode aproveitar para o reveillon.

Para ver todas as receitas basta baixar o app O Globo A Mais e conferir tudo tintim por tintim :)

10658573_839880479389179_3477224323532643713_o