Vegetais assados

Pare de refogar! Comece a assar!

Taí o lema. Eu gosto muito mais dos vegetais assim, assados, do que cozidos de outra forma. E mais prático não tem – vai tudo para a assadeira, regado com azeite e temperado a seu gosto: eu usei ervas de provence, sal defumado e pimenta calabresa. Alguns minutinhos de forno e … voilà! Legumes macios, ligeiramente caramelizados e perfeitos para acompanhar diversos pratos. Esses eu usei em um prato bem delícia, nutritivo e leve, que eu posto logo mais. Tinha cebola, alho, pimentão vermelho, abobrinha e cenoura. Coisa linda de viver :)

Então gente, vamos usar esse forno pra outras coisas além de assar bolo? ;)

Falsa moqueca funcional

Ainda naquela toada de alimentação mais saudável, reeducação e tudo mais, olha que preciosidade a colaboração da minha amiga Amanda Wanderley, nutricionista fofééééérrima e garota-carioca-suingue-sangue-bom, que mandou essa receita loosho (com tabela nutricional e tudo!) para os leitores do Pimenta. Dá um look que receita delícia – e muito leve e funcional! Diz, Amanda…

A preparação tem por objetivo oferecer alimentos com vários benefícios que, além do valor nutritivo inerente à sua composição química, podem desempenhar um papel potencialmente favorável no controle e redução do risco de doenças cardiovasculares por apresentarem propriedades relacionadas à atividade antiinflamatória, anticoagulante, vasodilatadora e antiagregante e atuarem na redução da concentração do colesterol sanguíneo e de triglicerídeos.
Além disso, possui nutrientes que atuam como antioxidantes, combatendo o envelhecimento das células e os radicais livres, e apresenta alto teor de fibra alimentar, que tem sido relacionada a efeitos benéficos, como modulação da microflora intestinal, redução do risco de câncer de cólon, prevenção à obesidade e ao Diabetes Mellitus tipo II e alívio à constipação.

A Amanda chamou a receita de Falsa Moqueca Funcional – porque não tem dendê, leite de coco, camarão e nem pirão pra acompanhar e, além disso, não foi feita na panela de barro!

Daí você já torce o narizinho achando que “nhé! então não deve ser gostoso”. Bobagem! A moqueca falsa da Amanda leva truta, purê de batata baroa e biomassa de banana verde, farofa de clorofila e aspargos grelhados. Fala, tem alguma chance de não ser delicioso? Então, vem comigo e veja passo-a-passo como preparar esse prato escândalo.

PREPARAÇÃO: Falsa Moqueca Funcional
Número de porções: 02

1. Dispor o molho de moqueca no prato;
2. Acrescentar os 2 rolos de filé de truta em cima do molho;
3. Adiconar o purê de batata e biomassa no lado oposto do prato;
4. Colocar os aspargos grelhados no centro;
5. Finalizar com a farofa de clorofila e o óleo de coco por cima da truta.
6. Decorar com 2 fatias de limão.

Papilotte de Truta


1. Dividir o filé de peixe em 2;
2. Temperar os filés com pimenta do reino, sal, tomilho e azeite;
3. Enrolar os filé de peixe;
4. Dispor os rolos de peixe em uma folha de papel aluminío e fechar bem;
5. Assar em forno pré aquecido por 15 min a 250°C.

Purê de Batata Baroa e Biomassa de banana verde

1. Cozinha a banana verde com casca na panela de pressão por 15 minutos;
2. Cozinhar a batata baroa no vapor;
3. Processar a banana verde e a batata baroa até obter uma massa homogênea;
4. Adicionar sal caso necessário.

Molho da moqueca

1. Refogar a cebola no óleo de coco;
2. Acrescentar o tomate, a pimenta dedo de moça cortados em brunoise e a folha de louro;
3. Adicionar o leite e a maisena;
4. Acrescentar o sal e açafrão.

 

Farofa de clorofila

1. Refogar o alho no azeite;
2. Adicionar a farinha de mandioca e a linhaça triturada;
3. Deixar dourar;
4. Triturar o coentro e a farinha.

 

Aspargos grelhados

1. Refogar os aspargos no azeite;
2. Acrescentar gotas de limão ao final.

***

Já pro fogão, comadre! :)

Amanda, muito obrigada por essa participação linda por aqui, viu? pode mandar quantas receitinhas quiser que eu vou a.d.o.r.a.r!
Beijo!

***

Crédito receita e imagens: Amanda Wanderley

Tomate recheado com quinoa

Tempos sinistros, minha gente! Trabalho insano, dieta mode on, falta de ânimo e muito cansaço. O resultado é que minha cozinha anda tristonha e solitária e eu, cada dia mais saudosa dela e daqui :(

Mas, como eu ainda preciso me alimentar e tenho tentando não ceder completamente às tentações do delivery, dia desses saiu esse tomate recheado com quinoa que ficou sensacional e é uma ótima pedida para refeições ligeiras, saudáveis e com um tico de glamour, porque né… se me acabar o glamour, danou-se de vez! Rá!

Não tem segredo… primeiro a gente cozinha a quinoa em água temperadinha com o que você quiser – eu gosto de colocar uma folha de louro, uns dois cravinhos e um dente de alho esmagado, só pra adicionar um sabor mesmo.

Depois de cozida e escorrida, basta temperar a quinoa a seu gosto – eu usei pimentão verde beeeeem picadinho, damasco picado, pimenta dedo de moça (sem semente) também picadinha e cheiro verde. O resto é sal e azeite honesto.

Peguei dois tomates, retirei uma tampinha e as sementes. Botei numa assadeira, coloquei um pouco de azeite, temperei com sal moído com blend de pimenta e levei ao forno só para dar uma ligeira (bem ligeira mesmo) amolecida no tomate. Recheei com a quinoa e servi com salada de rúcula e filé de frango ao molho de iogurte e manjericão (manjericão pilado, sal, pimenta, azeite e iogurte natural, simples assim).

Coisinha ligeira e saborosa para uma criatura que só faz trabalhar, trabalhar e trabalhar. Alguém me salva desse mundo capitalista? ;)

Eu volto! Juro :)


(a quinoa, temperadinha assim, pode ser servida sozinha ou como acompanhamento de carnes, peixes…)


(dentro do tomate pode ir o que tua imaginação mandar, e o que couber lá dentro, claro…dã)

Berinjela na churrasqueira

Churrasco não precisa ser só de carne, sabia?

( *pausa para o momento em que todos os carnívoros fazem cara de “oi?”)

Tá, talvez você tenha feito cara de desdém e imaginado por que diabos alguém faria berinjela em dia de churrasco. Simples! Porque eu simplesmente adoooro acompanhamentos para churrasco e, não raro, como muito mais deles do que da própria carne. Entendeu agora?

Mas, vá lá… carnívoros, acalmem-se! Ninguém quer tirar a carne do seu churrasco, fiquem tranquilos (bom, talvez os vegetarianos queiram sim…rs). Mas ó, se você curte berinjela (eu gostava mais de escrever com G, juro), experimente essa no próximo churrasco na sua casa. Aposto que você vai curtir.

Preparo vapt-vupt…

Corte as berinjelas ao meio e faça uma espécie de “quadriculado” na polpa (foto1), cuidando de não chegar com a faca até a casca. Depois, com a ajuda de uma colher, raspe essa polpa e coloque um em travessa. Junte tomate e cebola em cubos e tempere tudo com sal, pimenta calabresa, orégano, manjericão (ou as ervas que preferir), coloque azeite do bom e coloque essa mistura lá na casca da berinjela, no lugar da polpa que você retirou.

Depois, é só levar as bichinhas para a churrasqueira, na parte de cima, pra assarem devagar. Está pronto quando a casca da berinjela estiver macia.

Fácil né?

#dica – batatas crocantes e saborosas

1. Cozinhe batatas bolinha lavadas e com casca até que fiquem macias (sem desmanchar!);

2. Disponha as batatas em uma assadeira e, com as costas de uma colher, amasse cada uma delas ligeiramente (não é pra fazer purê!);

3. Tempere as batatas com azeite, sal (ou flor de sal), pimenta moída na hora e ervas secas (se preferir, use um pesto pronto – também pode-se finalizar com queijo ralado);

4. Leve-as ao forno pré-aquecido e asse até dourar.

Sirva com uma carne grelhada e seja feliz :)

Foto: The Pioneer Woman

Refogar ou Assar?

Nessa questão aí eu já escolhi meu lado, viu? Lá em casa, se tem uma coisa que trabalha (e muito!), é o forno.

O engraçado é que houve um tempo em que eu achava que fazer as coisas no forno era sempre mais demorado. Bem, eu não poderia estar mais enganada.

Aqui por exemplo, meu único trabalho foi picar a berinjela, os pimentões, tomate, cebola, o alho (só descascar e esmagar levemente), temperar com sal, pimenta calabresa, colocar folhas de louro, manjericão e orégano, regar com azeite e levar ao forno, incialmente coberto com papel alumínio e depois sem. O tempo de forno varia, mas no meu foi coisa de 20 minutos.

O bom do forno é que ele te libera pra fazer outras coisas e não te obriga necessariamente a ficar plantada na beira do fogão. Você bota o trem lá* e vai cuidar da vida. Adoro.

Ah! E essa berinjela fica deliciosa para acompanhar a salada, a massa ou virar antepasto e ser servido com pão ou torradinhas.

***

* continuo possuída por um espírito mineiro.

Farofa de alho poró e castanha portuguesa

Tem acompanhamento mais batuta para assados do que a boa e velha farofa? E Natal sem farofa, eCziste??? ;)

Esse ano eu me joguei em uma receita diferente, mas muito simples e fácil de fazer, dá uma olhada…

Corte 300gr de bacon em cubos (eu gosto grandes, mas pode cortar miudinho se preferir) e leve para a panela para derreter a gordura (que você pode ou não descartar) e dourar levemente. Acrescente  150gr de manteiga e quando ela estiver derretida junte uns 6 dentes de alho picadinho e uma cebola grande picada. Espere a cebola murchar e junte 1 alho poró cortado em rodelas não muito finas. Deixe o alho poró cozinhar um pouco – um pouco! é legal mantê-lo um pouco crocante.
Quando o alho poró estiver macio,  junte 1 pacote de farinha de mandioca torrada, misturando bem. Agora é só juntar uns 200gr de castanha portuguesa cozida e picada (nem preciso avisar que tem que descascar a castanha, néam? dã!). Tempere com sal e pimenta calabresa a gosto e finalize com cheiro verde picadinho.

Pronto! Taí uma variação bacana para a farofinha das Festas desse ano :)

Cozinhando com o Edu Guedes ♥


(Edu Guedes começando a preparar a sobremesa, hora de enrolar o salame de chocolate, todo mundo com a mão na massa, manteiga para a farofa,  ela já d.e.l.i.c.i.o.s.a e pronta e eu, finalizando a entradinha)

A convite da Tetra Pak participei de uma aula na Casa Cor para conhecer melhor as embalagens da empresa e também para utilizar alguns desses produtos na elaboração de três receitas, preparadas pelo chef Edu Guedes.

Foi muito bacana conhecer mais sobre o processo que envolve as embalagens, testar algumas delas na hora (parece que nosso sonho de abrir embalagens com praticidade está finalmente para acontecer!) e a aula, onde a gente botou na massa, foi super divertida.

Preparamos três pratos gostosos e muito, muito práticos – uma entradinha com atum, uma farofa com feijão (que foi servida com cubetes de mignon ao molho) e um salame de chocolate de sobremesa. As receitas todas seguem abaixo e, ó… eu se fosse você testava todas porque são boas de verdade.

Tartar cozido de atum

Ingredientes
1 xícara de atum
4 colheres de sopa de maionese
1 xícara de cebola picada
1 colher de sopa de gengibre ralado
2 colheres de salsa picada
2 colheres de sopa de pimenta biquinho

Modo de preparo

Passar a cebola na água quente e depois na água fria para tirar sua acidez.
Num bowl, misturar o atum, a maionese, a cebola, o gengibre, a salsa e a pimenta biquinho.
Acrescentar o sal.

Servir com torradinhas, em formato canapé ou até mesmo acompanhando uma salada de folhas servida como entrada.

Cubetes de mignon com farofa de feijão

Ingredientes:
1,2 kg de file mignon
200 ml de molho de vinho
Óleo para grelhar a carne
Sal a gosto

Farofa de feijão carioca

½ xícara de manteiga
1 xícara de cebola picada
1 xícara de calabresa picada
1 ½ xícara de feijão carioca cozido
1 xícara de tomate cereja cortado ao meio
1 ½ xícara de farinha de mandioca
½ xícara de castanha de caju torrada
Sal a gosto

Modo de preparo:

Cortar o file mignon em cubos e temperar com sal.
Numa frigideira bem quente, dourar a carne com um fio de óleo.
Acrescentar o molho no fim antes de servir.

Farofa

Numa panela, derreter a manteiga e refogar a cebola até murchar.
Adicionar a calabresa e deixar fritar até começar a dourar.
Acrescentar o feijão. Depois o tomate, a farinha e a castanha de caju.
Acertar o sal.

Salame de chocolate  

Ingredientes
1 kg de chocolate meio amargo
2 xícaras de creme de leite
4 xícaras de bolacha de amido de milho picado
1 xícara de amêndoa torrada
1 xícara de uva passa branca
1 xícara de damasco picado

Modo de preparo
Derreter o chocolate em banho maria.
Adicionar o creme de leite até ficar homogêneo.
Acrescentar as amêndoas, a uva passa, o damasco e a bolacha.
Colocar na forma com plástico filme ou enrolar em forma de salame e deixar endurecer para cortar.

Fotos: Tetra Pak

Chuchu com carne seca

Chuchu é o legume mais enjustiçado evAr! Dizem que ele não tem gosto de nada, que é o 4º estado da água… ah, que nada! Desde os primórdios do Rainhas que eu já alardeava meu ♥ pelo chuchu – e não é de brincadeira não! Eu realmente gosto dele. E não pensem que só curto o bichinho quando ele tem outros quetais acompanhando não. Eu também gosto dele purinho, só cozido com água e sal e mais nada, tsá? Convivam com isso, meus caros – eu sou chuchuzólatra ;)

Aqui eu fiz um refogadinho (tem palavra mais meiga que essa?) do chuchu com carne seca desfiada, cebola, alho e pimenta biquinho. Finalizei com salsinha picada, servi com arroz e feijão e o sujeito que mora lá em casa e vive dizendo que chuchu é insosso bateu bem uns dois pratões. A desculpa foi a carne seca, claro. A-han, sei ;)


Agora, gente… eu nem ia postar esse prato porque né, nem dá pra chamar isso de receita, só que eu tinha que falar da carne seca que usei e sabe por que? Porque eu a.m.e.i isso, afff. Coisa mais prática! Bateu aquela vontade doida de comer carne seca mas você nem tem o tempo de dessalgar, cozinhar, desfiar e tudo mais … e aí, como faz? Saca essa caixinha no supermercado e pimba! Carne prontinha pra usar – a embalagem diz que é dessalgada, mas eu nem precisei salgar o prato (até porque, diminui consideravelmente o sal na minha casa e tô muito feliz com isso, viu?). E ó… o preço nem é absurdo. Considerando que você compra lá aquele nacão de carne seca e depois que ela cozinha vira uma titica, se bobear acho até que sai quase elas por elas. Coisa linda.
Ah! E isso não é propaganda paga não gente! É uma experiência boa que tive na minha cozinha e estou dividindo com vocês, ok? Coisa boa a gente tem mais é que divulgar mesmo :)

Aqui a bichinha ó.

Batatas com pasta de ricota defumada e alho negro

Dia de geladeira no limbo, disposição zero para ir ao supermercado e fome de qualquer coisa que não fosse trash food (confesso que andei sucumbindo a elas porque a coisa estava tão feia que eu não tinha forças para mais nada).

Uma vasculhada na dispensa e no buraco negro chamado geladeira e tudo que me restava era um maço de escarola, um naco de ricota defumada, uma merreca de cream cheese light e o alho negro (que eu uso com muita parcimônia…rs). Tinhas umas batatas também e um ou dois tomates ainda dava pra salvar. Era o que eu tinha para o momento, e não é que saiu uma comidinha bem gostosa?

Couve de bruxelas ao molho de queijo

Para dar uma cara diferente para aquele manjado refogadinho de legumes, que tal incrementá-lo com um molho de queijo?

Foi o que eu fiz com essa couve de bruxelas, que eu tinha comprado porque estava com preço bom no hortifruti, mas que eu não estava afins de comer na versão salada e nem tampouco só refogadinha. Ataquei de molho de queijo e ó… ficou delícia.

Primeiro eu cozinhei a couve no vapor, até que ficasse macia. Depois, numa panela, fiz o esqueminha básico do molho branco – manteiga, cebola ralada, um pouquinho de farinha e leite aos pouquinhos. Com o molho já grossinho, acrescentei uma gema de ovo, mussarela ralada e requeijão cremoso e finalizei com sal, pimenta e noz moscada ralada.

Eu pensei em gratinar, mas minha fome (aquela monstra que aparece de vez em quando na minha vida) achou que só assim já estava de bom tamanho. Você no entanto, polvilhe um pouco mais de queijo por cima da travessa e leve um bocadinho ao forno aquecido – só o tempo de dar aquela ligeira dourada.

A ideia serve para qualquer legume que esteja dando sopa na sua geladeira, e também para escapar do classicão alho e óleo, que é bom mas, vamo’ combinar, cansa né? Dá pra fazer o mesmo com cenoura, abobrinha, mandioquinha, chuchu (aliás, com chuchu fica fantástico), couve flor, brócolis… ou até com todos juntos, porque não? =)

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar