Brunch

(imagem: Constance Zahn)

Eu poderia contar uma linda estória de um brunch que teve um final muito feliz, mas acho melhor não entrar em detalhes…hohoho ;-) Sendo assim, vou apenas me declarar fã e dizer que o brunch é uma alternativa muito bacana para receber em casa justamente por ser muito flexível, além do que o trabalho acaba sendo muito pouco pois a maioria das coisas você vai comprar pronta.
Eu gosto de dar o meu toque, por isso prefiro servir uma torta (geralmente de massa podre e frango ou legumes) ou um bolo daqueles gelados de pão-de-forma, manja? Acho aquilo delicioso e vou postar logo aqui uma receitinha minha que é supimpa, super colorido e muito lindo. Também dá para fazer uma omelete bem caprichada (já disse aqui que eu amo omelete?) que fica muito bom também.

Por enquanto, fiquem com as dicas que encontrei no site da consultora de etiqueta Cláudia Matarazzo

***

O “brunch” foi criado pelos americanos e, na verdade, serve para definir uma das boas invenções para convidar os amigos para um encontro quase matinal. Depois virou moda nos hotéis, embora o gostoso seja em casa mesmo.

É uma mistura de breakfast (café da manhã) com lunch (almoço). Funciona com todas as vantagens destas duas refeições, é uma solução mais prática e – sem dúvida – mais original do que o velho e bom almoço de domingo.

· Não existe um horário certo para servir o brunch. Ele não sai, mas “fica”: a partir das onze da manhã (ou até dez e meia, dependendo do seu horário de acordar) está valendo. A mesa fica colocada e quem for chegando pode se servir a medida que der vontade ou fome.

· Vantagens:

– Você não precisa servir a todos, nem correr entre a cozinha e a sala. E aproveita muito mais a conversa e a companhia.

– Por ser um serviço onde cada um se serve, os utensílios são mais simples e práticos.

– Pelas suas características, agrada tanto a vegetarianos radicais quanto gulosos de plantão, ou os loucos por dieta.

– Você não precisa servir alcoólicos – afinal não é aconselhável começar o dia com uma caipirinha ou cerveja estupidamente gelada.

– Serve para todas as ocasiões: batizados (que, em geral, acontecem pela manhã), casamentos, primeiras comunhões, aniversários de pessoas mais velhas (que gostam de almoçar cedo, assim não precisam esperar todos chegarem por volta de duas da tarde).

· Basicamente serve-se tudo o que estamos acostumados a ver em um super café da manhã e alguns pratos quentes de fácil preparo.

– Café, leite e chá (pode se deixar apenas os saquinhos expostos para cada um escolher e fazer o seu).
– Sucos e/ou refrigerantes.
– Pães e torradas em todas as suas variações.
– Um queijo branco ou amarelo.
– Presunto.
– Mel/geléia.

Até aqui parece que estamos falando de um café da manhã ou chá comum. Mas a graça começa quando acrescentamos:

– Salaminho ou outros frios fatiados.
– tortas salgadas.
– uma salada de folhas.
– coalhada fresca ou iogurtes.
– mini salsichas.
– esfihas.
– frutas.
– uma torta doce cremosa ou qualquer outro doce como quindão.

É claro que todos estes pratos não são necessários. A escolha é sua. Como eu disse, você não é obrigado a servir alcoólicos. Porém, se quiser não tem o menor problema. Principalmente se a reunião se prolongar até mais de cinco da tarde. Neste momento, é super elegante servir um vinho espumante. Cai bem sempre. Como aliás qualquer boa cerveja. Que, de resto, pode começar a circular gelada sem problemas depois da uma da tarde.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

No Comments Yet.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*