Arroz de puta (não muito) rica

O nome é uma licença poética, tá? Antes que alguém venha aqui me dizer que isso jamais poderia levar o nome do prato típico do Cerrado, já vou logo avisando que nem tive essa intenção, já que na minha versão não usei vários dos muitos ingredientes do prato original, como costelinha, frango, ovo cozido, ervilha fresca… então relaxem, ok? Quem quiser chamar de arroz com linguiça, bacon e grão de bico, pode ficar à vontade também, combinado? ;)

Okey, então no meu arroz rolou o seguinte processo… Primeiro levei à panela cubinhos de bacon magro, que deixei fritar até dourar. Depois, acrescentei linguiça fresca em pedaços (tirei apenas a pele), que também fritou e reduziu bastante. Descartei quase toda a gordura que se formou (mas só porque a consciência pesou um pouco…cof, cof, cof) e juntei cebola e alho (muito) picadinhos e também deixei dourar. A esse refogado somei tomate sem pele e sem semente picadinho, pimenta dedo de moça picada sem semente, uma pitada de açafrão e acertei o sal e deixei cozinhar até o tomate desmanchar e formar um molhinho.

Tirei parte desse refogado e reservei para depois enfeitar o prato e juntei à panela o arroz, que fritei um pouquinho e coloquei caldo de galinha suficiente para cozinhá-lo. Quando o arroz estava cozido, foi só finalizar com salsinha picada e uma caixinha de grão de bico cozido (que a Camil gentilmente me enviou e que eu simplesmente amei). Pronto.

Já no prato, um pouco do refogado reservado, um fio de azeite e pimenta do reino moída na hora.

Olha só… se de puta pobre, rica ou classe média, whatever, viu? O fato é que esse arroz ficou di-vi-no, principalmente para uma criatura como eu – l.o.u.c.a por grão de bico :)

***

E o lindo prato da foto é parte do presente que recebi da Larissa, do blog Meu Emagrecimento, minha amiga secreta na brincadeira que rolou entre os foodblogs esse ano :)

* post originalmente publicado no Rainhas do Lar

1 Comment
  • Dinair Ribeiro Morais
    fevereiro 19, 2011

    Faby, fikei triste com esta (provavelmente necessária) separação!.
    Mas… Aprendi a admirar, me identificar e à me divertir com estas duas ilustres estranha: Faby e Katita!
    Que Deus abençõe a nova jornada de ambas!
    Muita paz, flores e comida boa para vcs, minhas queridas!

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*