carnes molhos pratos únicos principais Receitas

Moussaka

Eu não gosto muito de dar aqui os nomes clássicos a pratos tradicionais, ainda mais quando eles chegam a representar uma culinária. Sempre tem alguém pra dizer que esse não é o jeito certo, ou tradicional, ou verdadeiro. E isso é verdade, eu sei. Oras, um prato que tem sua origem lá na Grécia (ou o pé na cozinha árabe, como alguns dizem) e que ganhou o mundo e já foi reproduzido de inúmeras maneiras diferentes, sofreu, como era de se esperar, diversas adaptações!

Na minha cozinha não foi diferente. Aqui, saiu o cordeiro e entrou a carne bovina, e outros temperinhos aqui e acolá, e o meu jeito de fazer o bechamel… Então, na condição de fanática por berinjela e com a devida licença aos gregos que caírem por aqui, dá pra dizer que essa é a minha versão da Moussaka – assim, não ofendemos ninguém. Combinado? ;)

O prato não é lá dos mais simples de preparar, já aviso. Tem alguns passos, mas eu garanto que o resultado final vale cada um deles. Vamos começar pelo Bechamel, que é a cobertura do prato…

Eu não tenho uma receita clássica também de bechamel (olha eu, caçando encrenca com toda a culinária clássica do mundo), mas ele basicamente é um molho branco, feito com leite e engrossado com farinha e manteiga. Em uma panela eu uso a mesma proporção de manteiga e farinha de trigo – aqui foram duas colheres de cada. É só derreter a manteiga, adicionar a farinha, mexer bem e cozinhar por uns 2 minutinhos. Daí vem a parte mais chatinha – acrescentar o leite (usei cerca de 700ml). Tem que juntar o leite e começar a bater bem, com um fouet, para que não empelote. Eu gosto de fazer aos poucos, mexendo com vigor. O molho já começa a engrossar. É só abaixar o fogo e cozinhar por uns 5 a 6 minutos, quando já dá para temperar com sal, pimenta branca e noz moscada ralada. Depois do cozido, o molho saí do fogo e fica reservado pra amornar um pouco, quando então a gente junta uma gema de ovo batida.

Outra etapa da receita é o molho de carne que, como eu disse, fiz usando carne moída. Aqui vale o seu jeito de fazer o que não deixa de ser um refogado de carne moída. Eu coloco a carne na panela, deixo soltar a água e começar a fritar, mexendo pra não deixar grumos. Depois, junto cebola e alho picados e um fiozinho de óleo e deixo tudo dourar. Para essa receita, o molho não deve ser líquido, mas bem grossinho. Acrescento uma folha de louro, dois tomates sem sementes picados e umas 2 colheres de extrato de tomate. Um pouquinho de água, mexe e tempera: sal, pimenta, cominho e canela (pode ser só uma pitadinha, mas ela já faz toda diferença, acredite). É só cozinhar até ficar mais sequinho, quase sem líquido.

Daí vem a etapa da berinjela e da batata. Há quem faça só com berinjela (eu gosto também) mas a batata acrescenta uma textura, que é bacana. O que fiz foi fatiar a berinjela (com casca) em fatias médias no sentido do comprimento (para essa travessa usei só uma berinjela mesmo) e 3 batatas (também com casca) em rodelas não muito finas. Deixei tudo de molho em água com sal por meia hora, escorri, laveis e sequei tudo com papel toalha. Em uma frigideira com um fio de azeite dourei levemente as batatas e depois as berinjelas. Feito isso, já dá pra começar a montagem…

Em uma travessa refratária levemente untada com azeite a gente começa com a camada de batatas. Depois, molho de carne. Agora é a hora de ajeitar uma camada de berinjela e por cima, mais molho. Outra camada de berinjela e a finalização com o bechamel e parmesão (opcional). Forno pré aquecido por uns 40 minutos ou até que a cobertura esteja dourada.

O cheiro do forno é enlouquecedor e eu sei que vai te dar uma baita fome mas, controle-se e não caia na tentação de partir a Moussaka assim que ela sai do forno! O ideal é esperar que ela amorne, pra que não sobre nenhum líquido e as camadas fiquem bonitinhas :)

Você Pode Gostar Também

4 Comentários

  • Reply
    Juliana Medeiros
    18 de agosto de 2015 at 9:38

    Receita prática e saborosa, só em ler a receita já bateu vontade de comer. Vou fazer essa semana ainda, o marido e filhotes estão numa fase de berinjelas e abobrinhas. Sei que vai agradar!

  • Reply
    Jonathan
    17 de abril de 2016 at 19:25

    Otima receita. Sou neto de Gregos e posso te falar, meus avós odiavam mudar uma receita. Sempre faziam ao pé da letra. Moussaka me remete a infancia, domingo na casa da minha vó. Enquanto a maioria dos meus amigos de descendencia Italiana comiam massas e assados, eu sempre comia Moussaka e salada Grega. (pepino, tomate, cebola roxa, azeitonas e queijo fresco)
    Eu ja gosto das modificaçoes. Nao consigo ser fiel as receitas pelo fato de morar em uma cidade de porte medio e ter dificuldade de encontrar ingredientes mais selecionados e originais. Ai a gente se vira com o que tem. A sua versão é basicamente a mesma que faço, com um toque a mais de pimenta e canela rsrsrs
    Um beijao :*

    • Reply
      Jonathan
      17 de abril de 2016 at 19:27

      Ps, esqueçi de comentar uma fato : minha avo usava litros de azeite em quase todas as preparaçoes, rsrsrsrs. Ela fritava as batatas e as berinjelas no azeite, usava azeite no molho de carne e no bechamel. Me lembro de raspar o fundo da assadeira cheiooo de azeite ( e que azeite delicioso ) com um pedaço de pão.
      hehe

      • Reply
        Faby
        18 de abril de 2016 at 16:28

        Que delícia de lembrança, Jonathan! Adooooro! Tb gosto de dar minhas modificadas, mas tb respeito muito receitas originais. Dá pra agradar os dois lados :)

        Beijo!

Deixe uma Resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Como fazer Cebola Empanada Receita de Cuscuz Paulista Como fazer Arroz Doce Receita de Curau Como fazer Maçã do Amor