Browsing Tag

sopa

Receitas sopas, caldos & cremes vegetarianos

Sopa de grão de bico com alecrim


A receita está entitulada como sopa mas o próprio autor, o chef Jamie Oliver em seu livro A Itália de Jamie Oliver, confessa não saber bem se ela é sopa ou massa, mas tanto ele quanto eu optamos por chamá-la de sopa e finito.

O livro em questão é parte do mesmo material usado na minisérie homônima transmitida no Brasil pelo GNT e traz imagens belíssimas em fotos que mereceriam até uma moldura. Então, se você não tem o livro, corre! Vale a pena o investimento para descobrir o olhar que o chef lançou sobre velhos clássicos da culinária italiana (alguns até que ele nem deveria ter mexido, but…rs). É, no mínimo interessante, ver como é possível introduzir novidade (não sem muita luta – quem viu a série sabe bem do que estou falando) sem necessariamente perder a essência. Para aqueles que torcem o nariz para as modernidades e esquisitices do chef inglês (eu mesma já fui uma dessas pessoas) ainda assim o livro vale a pena, nem que seja apenas para conhecer mais da culinária italiana, sobre a qual ela fala bastante no livro.

Vai lá… finalmente a receita…

O que vai na sopa: grão-de-bico cozido em caldo de galinha, massa para sopa (pequena e de preferência de grano duro – eu usei argolinha), cebola, alho, um ramo de alecrim, talos de salsão picado, azeite extra virgem e manjericão.

Numa panela coloque o azeite, o alecrim picado finamente (finamente é finamente mesmo, ok?), a cebola, o alho e salsão e cozinhe em panela tampada e fogo baixo (mexendo de vez em quando) por uns 15/20 minutos, até que todos os ingredientes estejam macios e transparentes. Pegue parte do grão de bico cozido e passe pelo processador (ou liquidificador) junto com os ingredientes da panela (reserve a outra parte dos grãos inteiros). Leve a parte processada à panela novamente, mexa, junte a massa escolhida e deixe até que ela cozinhe. Ao final, junte os grãos inteiros do grão de bico, tempere com sal e pimenta do moinho e desligue. Se durante esse processo, o caldo for ficando muito espesso, pode ir acrescentando mais caldo de galinha.

Na hora de servir, coloque por cima folhas de manjericão rasgadas e regue com azeite honestíssimo.

Olha… que coisa boa meu pai! Coma rezando, de joelhos, pedindo perdão por todas as vezes que você achou que o Jamie Oliver era um fuinha.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

reaproveitamento Receitas sopas, caldos & cremes

Sopa creme de mandioca

No domingo foi aniversário da minha mãe e eu fiz uma costelada em casa para ela e seus convidados. Videokê até altas horas, quase 10Kg de costela no forno à moda da Faby, farofa de feijão de corda e manteiga de garrafa (a sensação da festa), salada e claro, mandioca cozida, o que na minha opinião é o que melhor acompanha a costela.
No final da festa, a única coisa que sobrou foi a mandioca cozida que hoje, graças à temperatura siberiana que faz lá fora, virou uma sopa creme deliciosa.

Comprei um pouco de cubos para ensopado (eles usam carne de segunda de onde é retirada toda a gordura) e levei à pressão com azeite, cebola, alho, folhas de louro, pimenta branca e sal. Dourei muito bem (veja a cor da sopa) até quase “pegar” no fundo da panela, cobri com água e deixei cozinhar até a carne praticamente desmanchar.
Depois de cozida, separei o caldo da carne e levei ao liquidificador com a mandioca já cozida (aqueci previamente no microondas) e bati até formar um creme. Levei de volta à panela da carne e deixei que tudo cozinhasse junto por mais alguns minutos. Acertei o sal, coloquei uma pitada de noz moscada e já na sopeira salpiquei salsinha picada.
Dessa mesma forma você pode fazer a sopa substituindo a mandioca por abóbora, mandioquinha, batata, batata doce… de toda forma fica boa.

O resultado aqui foi uma sopa deliciosa, encorpada e cheia de sustância, boa para preparar o espírito para a madrugada fria que virá – segundo o noticiário teremos 10ºC.

Brrrr!

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Receitas sopas, caldos & cremes

Minestrone

O frio voltou – e, na boua, já tá ficando chato esse vai e volta sem fim – e a boa pedida como sempre é mergulhar no caldeirão de sopa.
E o que tem o minestrone de diferente? Geralmente tem feijão branco, legumes como cenoura, vagem, batata, repolho, erva-doce (que eu não gosto), macarrão -qualquer um, desde o de sopa até o mais tradicional espaguete ou linguine cortados – tomates em pedaços, ervas como manjericão, um bouquet garni com louro, salsa, cebolinha, bacon ou até presunto cru.

Eu sei, pode parecer o samba do crioulo doido mas minestrone é uma sopa fantástica, super encorpada, daquelas que, como diria minha avó, dão sustância. Com base em legumes picados grosseiramente, massa e ervas, o minestrone agrada em cheio aquelas pessoa que torcem o nariz pra sopa, manja? E por ser assim flexível, é o tipo de prato em que cabe a sua imaginação, as sobras da geladeira, os restinhos de espaguete do pacote e dá até pra misturar todas as sobrinhas de massas que você tiver, dá por exemplo pra colocar linguine, padre nosso e parafuso, tudo junto numa boa. Dá tudo comadre.

Aqui vai uma receita bem tradicional de minestrone. E se aí estiver frio como aqui, um caldeirão disso hoje vai cair muuuito bem.

Ingredientes:
repolho, abobrinhas, pimentão vermelho, 1 xícara de ervilhas frescas, batata, cenoura, cebola, 100 g de feijão branco, tomate maduro sem pele sem semente, 50 g de bacon, parmesão em lascas ou ralado, folhas de manjericão, alho, azeite, bouquet garni com salsa, louro, cebolinha, sal e pimenta a gosto

Deixe o feijão de molho na véspera. Cozinhe-o durante 1 hora e meia. Adicione as batatas, as cenouras, os tomates sem pele e sem sementes, o bouquet garni e metade do bacon, tudo cortado em pedaços. Cozinhe durante meia hora (não até os legumes já estarem bem cozidos). À parte, prepare um refogado com azeite, a salsa, o manjericão, a cebola, o alho, o pimentão vermelho, e o restante do bacon. Quando estiver pronto, coloque tudo na panela com o feijão e os legumes e retire o bouquet garni. Por último, acrescente o repolho cortado fino, junte o macarrão e as ervilhas e deixe no lume até a massa ficar no ponto.

Pra ficar lindo, queijo parmesão por cima e um filão de pão italiano pra ir tirando os tecos e molhando na sopa. Ave maria!

***

Ah! sabem como eu gosto de minestrone? Com macarrão grandão de conchinha. Mas eu sou muito meiga né? ;-)

Afff… isso me deu uma baita fome.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Receitas sopas, caldos & cremes

Sopa de cebola

Não adianta, esse frio pede, implora, clama por uma sopinha bem quente com torradinhas, parmesão ralado, queijinhos mils …hmmm.
São tantas opções que dá pra ir desde a canja basiquinha até minestrones e cremes divinos numa boa, tudo sem muito esforço porque, vamos combinar que fazer sopa não requer muita prática nem tampouco habilidade, certo?

O que dizer então da boa e velha sopa de cebola? Eu digo que ela é uma das minha minhas top 10.
Dá trabalho ralar ou cortar fininho 1 kg de cebola? É dá, mas a sopinha é tããão boa! Além do mais, esse vai ser o único trabalho pesado. O resto, eu garanto, é fácim.

Doura tua cebola já picada ou ralada em bastante azeite, quando ela estiver douradinha vá acrescentando aos poucos 1 colher de sopa de farinha de trigo peneirada (aos poucos para não empelotar!). Depois, é só botar uns 2 litros de caldo – pode ser de legumes, de carne, de frango (se for usar o de caixinha, para essa quantidade de água uns 2 tabletinhos está de boa). Acerte o sal (cuidado, se o caldo for de tablete já tem um pouco de sal) e uma pimentinha branca moída.
Deixe ferver até reduzir bem e o caldo dar uma engrossada. No final, junte uma caixinha de creme de leite, salpique cebolinha bem fininha e pode servir com torradinhas de sua preferência.

Se quiser o luxo, forre cumbuquinhas (que possam ir ao forno) com pão italiano, encha com sopa, salpique lascas de parmesão e leve o forno para gratinar.
Se for fazer assim, reze e peça perdão porque você vai pecar comadre. Ah, se vai!
Esqueceu que gula é pecado? ;-)

Receitas sopas, caldos & cremes

Continuando o circuito das minhas sopinhas top 10 tem o bom, delicioso, quentinho e saboroso capeletti in brodo – a coisa mais fácil de fazer depois de fritar ovo :-)

O segredo do capeletti in brodo está quase todo no caldo. Óbvio que a massa também tem que ser boa e, particularmente, as que eu comi no Rio Grande do Sul, uns capeletinhos caseiros e pequenininhos…afff… aqueles são de arrasar – deliciosos. Mas, se você não está no Sul não vai ser por isso que vai deixar de fazer o brodo. Dá pra usar massa fresca, aquelas da Frescarini por exemplo, mas não é o ideal não. Bom é usar massa seca, aqueles capelettis de pacotinho, que vendem na sessão onde fica o macarrão. Geralmente é importado – italiano – e com preço meio salgado mas o resultado é bom. Só não tente inventar como eu, que comprei uma dessas com recheio de funghi. Argh, argh, argh… não recomendo… o recheio era forte e o sabor esquisito não lembrava funghi mas sim sabão em pedra, daqueles azuis. Hohoho.

Enfim… (hoje estão tãão dispersa!)… Faça um bom caldo (uma base boa é de frango) puxadinho no azeite, com bastante salsinha, cebolinha, pimentinha branca e cozinhe nele o capeletti – coisa de 10, 12 minutinhos comadre, lembre que o ponto do capeletti é al dente.
Pronto. Pra servir, polvilha com um punhadinho de salsinha beeeem picadinha, um parmesão ralado honesto, um pãozinho italiano para acompanhar e mais nada.

Yummy…Delícia.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

comendo (e bebendo) fora

Dando sopa

Quem me conhece pode ficar um pouco confuso a meu respeito. Sou, digamos assim, uma caixinha de surpresas… geminiana com ascedente em gêmeos (é, eu sei… você fez aquela cara de “putz…essa aí é fogo!”). Acho que eu sou mesmo :-)

Mas tem um quesito em que eu sou super flexível e esse quesito é comida. Como de tudo, tudo mesmo, mas tenho que confessar que nada nesse mundo me atrai tanto quanto uma sopa.
Sou, por assim dizer, uma sopólatra (jesuis! e era pra gente inventar palavras aqui, era?), que ao meu ver seria uma definição para aquela pessoa que é capaz de comer sopa com o termômetro marcando 40º e ainda assim fazer questão que ela esteja BEM quentinha.

Enfim, na condição acima descrita, não poderia deixar de indicar aqui a Galeria dos Pães, em SP. Misto de padaria e mini mercado chique, o mezzanino do lugar reserva uma opção imperdível para aqueles que rezam a mesma cartilha que eu. A partir das 20:00 horas e até alta madruga (o lugar funciona 24 horas e é ideal para o fim da sua balada) o lugar serve um buffet de sopas – 6 tipos, uma mais gostosa que a outra em esquemão comer até o * fazer bico (não deixe de provar a de cenoura com manga). Para acompanhar pães de todos os tipos, frios, queijos, sanduíches de metro, sobremesas, frutas, sucos e até o cafezinho, tudo por R$ 17,80.
Estive hoje lá hoje no almoço – eles também tem o mesmo serviço de buffet nesse horário, assim como café da manhã e chá da tarde em esquemas semelhantes. O almoço sai por R$ 13,50 e é bom também. Sem muita variedade mas a comidinha é gostosinha.

De quebra, lá você encontra toda sorte de frios, embutidos e queijos – eles cortam como você quer, na quantidade que quiser. Vocë pode encomendar sanduiches de metro que são maravilhosos e eles também dispõem de uma boa quantidade de vinhos a preço razoáveis. A confeitaria é um caso à parte. Compre o petit gateau que vem em uma barra, parecendo um brownie, cheio de pedacinhos de nozes…ai! Coisa do demo minha amiga, do demo! Boa demais.

A Galeria dos Pães fica na Rua Estados Unidos, 1645 – Jardim América
Telefone: 3064-5900

* post orginalmente publicado no blog Rainhas do Lar

(crédito da imagem: Blog Gordasafada)