no carrinho

Prático X Gostoso

(parecia que ia dar tudo tão certo…)

Eu sou uma pessoa desconfiada, daquelas que faz “nhé” para certas invencionices e torce o nariz para produtos que vendem promessas tão boas quanto improváveis – “fácil, rápido, saboroso e barato”, tudo no mesmo produto. Fala, é ou não é pra desconfiar? Daí que eu raramente sucumbo (bonito isso, né?) a esses chamados e passo longe da batata pré-cozida, do molho branco de latinha (bleargh!), do feijão “prontinho e delicioso” da caixinha… enfim, alguns diriam até que eu sou… er… chatinha, mas eu prefiro… exigente :)

Pois é… raramente… mas, como raramente não é sempre, como tempo é algo que eu já não possuo mais, e como ninguém pode viver só de Cup Noodles (abafa!) e sanduba de queijo e atum, resolvi que era chegada a hora de abrir uma exceção e dar uma chance para algo novo – desde que fosse rápido, muito rápido. Foi então que, no corredor do supermercado, decidi me jogar na massa de panqueca pronta Massa Leve, peguei um pedaço de queijo, uma bandeja de presunto e decidi que teria panquecas ligeiras para o jantar. Parecia tudo muito promissor.

Cortei o queijo e um tomate em cubinhos e temperei com sal, pimenta, orégano e manjericão. Abri o pacote de massa e achei a textura meio estranha e o gosto bem meia-boca. Relevei (tempo Fabiana, tempo). Peguei uma massa, botei uma fatia de presunto por cima e depois o recheio temperadinho. Tentei fechar a panqueca como sempre faço, como pacotinhos – não rolou, a massa quebrava. Depois de perder umas três massinhas, dimimui muito a quantidade de recheio e consegui enrolar (meio que na gambiarra) – beleza. Cobri um refratário com molho de tomate, dispus lá as panquecas meio tortas, cobri com mais molho, queijo e levei ao forno.

Resumo da ópera… A massa da panqueca amoleceu, sumiu, virou uma pasta. Como elas não ficaram muito bem enroladas, o queijo de dentro também sumiu e, ao servir, eu tinha um prato disforme, meio panqueca, meio lasanha, meio qualquer coisa parecida com coisa alguma. O gosto também foi para o saco – a massa, que já era insossa, ficou ainda pior depois que virou aquela… massaroca, e apenas o molho de tomate e o manjericão salvaram o que restou da promessa de panquecas.

Daí eu pergunto para você, leitorzinho amigo, de que adianta um produto que supostamente facilitaria a minha vida se ele não me dá o principal? Sim, porque eu entendo que praticidade implica em uma perda da qualidade – eu não sou tão bobinha a ponto de querer tudo… mas, adianta ganhar tempo e perder o sabor, a textura?

Pois é… é por essas e outras que o Cup Noodles é meu amigo e nunca me faltará. Pelo menos, ele não me promete nada.

***

Em tempo: Eu acho lindo quem consegue ser feliz com a modernidade, viu? Um dia eu chego lá. Ou não =)

*post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Você Pode Gostar Também

Sem Comentários

    Deixe uma Resposta

    *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.