vai rolar a festa

Meu jantar nas alturas (em terra firme)

Quando fui convidada pela Brastemp/LiveAd para o Dinner in the Sky, ganhei também uma deliciosa missão: criar um cardápio para o evento. Para essa “árdua” tarefa, além de mim foram convocados outros nove blogueiros, e cada um deveria criar o seu cardápio composto de entrada, prato principal e sobremesa, levando em conta a coerência entre os pratos, a criatividade, a personalidade, a viabilidade (é um um jantar servido em uma plataforma suspensa a 50 metros do chão, não esqueçam) e a apresentação dos pratos. Como prêmio, o cardápio escolhido será adaptado pelo chef e servido no evento e, tcharammmm! o vencedor ganha ainda o direito de participar mais uma vez do Dinner in the Sky, só que dessa vez na companhia de seus amigos!!!! Não é lindo isso?

(pausa para o momento carinha feliz da leitora)

Agora, a boa notícia? Se meu cardápio for escolhido, uma leitora do Rainhas do Lar vai subir e jantar comigo nas alturas, e ainda vai poder levar um acompanhante!!! Eeeeba! Portanto, dedinhos cruzados, ahn!? =)

***

Missão dada, dever cumprido!

Criei o cardápio levando em conta os critérios do concurso e também meu gosto pessoal, coisa muito importante quando você vai oferecer um jantar, afinal, se você não acredita no prato que está cozinhando, quem há de acreditar?

Sendo assim, minha escolha recaiu sobre pratos leves e até delicados, que aliás é uma característica que me acompanha em tudo que faço… sim, eu sou uma pessoa que curte a delicadeza, vocês sabem :) Um frufruzinho é importante! Um crepe fino e com sabor delicado servido em forma de trouxinha, uma saladinha com folhas tenras e suaves, um pesto aromático e sutil em uma carne mais acentuada, um copinho feito com chocolate suiço para receber a ganache cremosa (comer o copinho foi uma das diversões da noite)… enfim, como dizemos sempre por aqui, o luxo está na simplicidade e nos detalhes, e no meu jantar não poderia ser diferente, né?

Para criar uma harmonia, todos os pratos receberam um toque de fruta; para viabilizar, todos os ingredientes são simples (nada daqueles pratos que levam um ingrediente que só se encontra nas tundras geladas da Sibéria ou nas montanhas rochosas da Ásia ocidental), afinal deveria ser um cardápio que pudesse ser reproduzido facilmente; para dar um toque original e acompanhar a carne, optei por um ingrediente ainda pouco comum nas mesas brasileiras (infelizmente): a quinoa, um grão nobre, saboroso, super nutritivo e que aceita mil variações de uso.

Então… vem comigo que eu vou te mostrar passo a passo como foi lindo o jantar que fiz para apresentação do meu cardápio. Uma noite linda, com boa comida, excelentes vinhos (harmonizados por meus amigos sommeliers, especialmente para a ocasião… desculpa tá? rs) e na companhia de amigos queridos – nas alturas ou em terra firme, melhor programa não há, não é mesmo?

Pra começar…


Eu sou uma pessoa que curte a preparação, o pré-festa, sabe? Gosto da parte da criação do menu, da compra dos ingredientes, da escolha da decoração da mesa e até do set list das músicas que farão trilha para a ocasião (música é muito importante, minha gente!) então, sempre dou uma atenção caprichada nessa fase (tem quem diga até que eu curto mais o “antes” do que o “durante”, mas isso é intriga da oposição…rá!).

Escolhi gérberas, que foram para a mesa em uma jarra de água; um jogo americano de arabescos; velinhas sobre taças invertidas; guardanapos delicados; uma luz quente a aconchegante; um show animado para abrir os trabalhos e amigos queridos compartilhando a noite e fazendo o papel que eles mais gostam: o de cobaias, claro :)

Nem só de bons pratos se faz um bom jantar!

Um jantar perfeito precisa ter a bebida perfeita, não esqueça. Ninguém aí vai ser doido de comprometer todo o trabalho na cozinha servindo aos convivas uma bebidinha xexelenta, vai? Uma boa comida pede, implora por um bom vinho, e assim foi.

Eu sempre digo que o importante na vida é ter amigos especialistas e, já que eu er… gosto de … bem, como eu sou uma…er… “pessoa etílica”, tratei logo de ter dois amigos sommeliers super competentes (e eu sou boba?). As harmonizações da noite ficaram a cargo deles e, só digo uma coisa: eles arrasaram!

Os vinhos da noite…
Entrada: Amadores Chardonnay 2009, Argentina
Prato principal: Mundvs, Cabernet Sauvignon 2005, Chile (medalha de ouro do concurso Vinalies Cata’Or América Latina)
Sobremesa: Hache, Late Harvest 2007, Chile

Agora sim, a comida!


Comecei servindo uma crepe de bacalhau com alho poró acompanhada de saladinha de baby leaf e pupunha e vinagrete de maracujá.

Para preparar a crepe, você pode utilizar uma boa e infalível receita de massa de panqueca. Uma boa dica é deixar a massa descansar uns minutinhos antes de começar a fazer as crepes.

Para o recheio, demolhei o bacalhau e o aferventei no leite aromatizado com louro, cravos e cebola. O resto foi ainda mais simples: azeite na panela com cebola e alho poró picados até que acebola murchasse, depois é só juntar o bacalhau, acertar o tempero (sal e pimenta branca), acrescentar um tomilho fresquinho e finalizar com um pouquinho de creme de leite fresco, para garantir ainda mais leveza ao recheio.

Na saladinha (assim mesmo, no diminutivo, pra ficar ainda mais fofa) usei folhas baby de agrião, alface e frisée e juntei pupunha desfiado. Para temperar, uma vinagrete de maracujá feita com a fruta, azeite, limão, mel e uma pitada de sal. O maracujá fez um casamento perfeito com a salada delicada e também favoreceu bastante o bacalhau – foi, de fato, um casamento super feliz :)

No prato principal a estrela poderia ter sido o mignon de cordeiro, que estava macio e super aromático com o pesto de hortelã, mas… a quinoa brilhou muito e simplesmente roubou a cena.

Para preparar a quinoa (eu usei orgânica) basta seguir as instruções da embalagem. Eu preferi cozinhá-la já em caldo de legumes com uma folha de louro. Uma vez cozida e al dente ela recebeu um tempero feito com alho poró, pimentão vermelho e maçã salteados em azeite. No final, acerta-se o sal e a pimenta do reino moída na hora e junta-se amêndoas em lâminas torradas.

O mignon de cordeiro foi temperado com sal e pimenta, selado na grelha quente, onde recebeu ainda um pesto de hortelã (usei azeite, limão siciliano, sal e hortelã, feitos no pilão, com o mesmo princípio de todos os pestos que já ensinamos aqui) e servido na “caminha” de quinoa.

Se estava bom? Só digo que rolou muito repeteco (nada deixa uma cozinheira mais feliz do que o povo pedir para repetir, sabia?) e teve gente fazendo até marmitinha de quinoa pra levar pra casa. É… a noite estava mesmo indo super bem =)

Se a noite já estava ótima até o prato principal, depois da sobremesa ficou ainda melhor. Junte um chocolate belga (80%) e uma fruta e você fará seus comensais te amarem pra sempre, acredite. E foi com essa ideia (a de juntar os dois ingredientes, não de fazer meus convidados me amarem pra sempre…hohoho) que eu planejei a minha sobremesa.

Comecei fazendo a mini pera ao vinho, do mesmo jeitinho que já ensinei aqui (pera descascada e sem o miolo, cozida no cabernet sauvignon, açucar mascavo, fava de baunilha, canela e licor de cassis). Para apresentar a pera no prato, achei que cabia fazer para ela uma “caminha”, daí resolvi fazer a compota de berries – amoras, blueberries e framboesas, cozidas com açucar, baunilha e licor de cassis.

Para completar, preparei uma cremosa ganache de chocolate amargo, creme de leite e licor de cacau. Também achei que uma ganache tão gostosa merecia ser servida com categoria, e por isso providenciei os tais copinhos de chocolate, que fizeram o maior sucesso da noite. Ok, fazer o copinho dá um certo trabalho, mas a apresentação fica tão charmosa que vale a pena, pode acreditar. Para fazê-los, há que ser um tantinho jeitosa… usar um molde de plástico, cobrir com o chocolate derretido e temperado e, depois de firme, desenformar e usar como quiser. Claro que os meus copinhos não ficaram perfeitinhos, lisinhos e, sinceramente, nem era essa a intenção mesmo… todo mundo sabe que a confeitaria não é meu forte, néam? O lance é mesmo a gracinha, a carinha de surpresa dos convidados quando descobrem que o potinho também é pra comer… os detalhes, lembra? ;)

Bom, depois é so montar o prato – perinha sobre a compota, ganache no copinho coberta com xerem de castanha de caju e uma folhinha de hortelã para colorir tudo e dar o toque final – e esperar os elogios :)

Para fechar a noite, papo gostoso e muitas risadas regado a café fresquinho de coador – para mim, não há jeito melhor de terminar uma noite deliciosa ;)

***

Pronto! Dever cumprido, louça na máquina de lavar, um cansacinho gostoso de quem faz o que gosta, convidados bem alimentados, uma anfitriã feliz e um gostinho de quero mais.

Dedos cruzados nessa hora, minha gente, porque o páreo… ah, o páreo está duríssimo, viu?!

*post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Você Pode Gostar Também

Sem Comentários

    Deixe uma Resposta

    *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.