Torta fria, um clássico


Se você foi criança nos anos 70 deve conhecer bem essa torta. Feita de pão de forma e recheio e cobertura variados – ora de frango, ora de atum, com maionese, requeijão… cada família fazia sua própria receita, suas variações (tinha gente que fazia ela toda colorida, um arraso!), mas uma coisa era certa: se tinha uma comemoração qualquer – pimba! lá estava ela, quase sempre acompanhada da boa e velha tubaína.

Saudosismo à parte, a ideia de preparar a torta fria dia desses em casa veio de dois fatores distintos… primeiro porque vi no supermercado um pão da Wickbold pronto para essa preparação (com fatias longas e sem casca) e em segundo porque eu tinha um frango assado quase inteiro que tinha sobrado do almoço preguiçoso do sábado e tinha que dar alguma providência. Ok gente, aqui cabe a pergunta de 1 milhão de dólares…

Você joga comida fora?

Respondeu NÃO, né? Ufa, que susto! Porque né, jogar comida fora em dias como esses, só sendo muito da doida ;)

Ok, voltando à torta fria…

Aqui eu fiz dois recheios:

1) Desfiei todo o frango assado e passei pelo processador, com um pouco de creme de ricota. Temperei apenas com pimenta do reino moída e uns cubinhos bem pequenos de pimentão verde, já que o frango assado já estava temperado;

2) Processei cream cheese e cenoura e fiz uma pasta (mas também podia ser salsinha pra ficar verdinho ou beterraba, pra uma torta mais rosada).

Depois, foi só montar: pão + pasta de cenoura + pão + frango + uma camada de agrião + pão + pasta de cenoura + frango + pão. Pronto!

Para finalizar, cobri com purê de batata e queijo parmesão ralado por cima. E, para ficar com a cara da nostalgia, batata palha nas laterais :)

Gela um pouquinho antes de servir e voilà!

Há quem diga que essa torta é cafona. Eu digo que ela tem gostinho de infância <3

6 Comments
  • Daniela
    maio 14, 2013

    Delícia, minha mãe prepara ela até hoje. A versão de atum com geleia tbm é tudo de bom. Parabéns pelo blog, excelente!

  • Daniele
    maio 14, 2013

    Faby, fui criança nos anos 80/90 e mesmo assim conheço e AMO essa torta, tanto que hora ou outra faço em casa e todos adoram! Rápida, prática e deliciosa!

  • Rosana
    maio 14, 2013

    Ah Faby, não é cafona não… é “vintage”!
    O luxo!!!
    Aproveitar sobras na cozinha é palavra de ordem pra mim. Tenho mania de fazer tudo a mais… antes sobrar do que faltar. Não quero ninguém com fome na minha cozinha. Mas sem desperdício!
    Nunca tinha visto uma receita dessa torta que não fosse uma orgia de maionese por todos os lados. Não que eu não goste de maionese, eu gosto sim, mas não tanta de uma só vez. Dessa vez fiquei com água na boca.
    Vou te falar que se essa receita estivesse em outro lugar ia passar batido. Provavelmente não ia ler porque logo penso na montanha de maionese.
    Mas sendo aqui… eu sabia que vinha coisa boa…

  • vovó Mima
    maio 14, 2013

    Fala sério! Q delícia!!! af deu vontade e saudades…..
    Ficou linda parabéns!!

  • Rivia Mazzini
    maio 16, 2013

    Olá Fabi!
    Sou de Muriaé, no interior de Minas, hoje moro em Juiz de Fora, mas sempre que vou lá como essa torta. Na minha terra é praticamente um patrimônio da cidade, tem em toda lanchonete e aquela briga sobre qual é a melhor. A minha preferida é a que tem camadas de frango, cenoura e ameixa (a mistura do doce com salgado mais perfeita pra mim). E tem mais uma coisa: a cobertura é uma maionese caseira temperadinha. Hum, delícia!

  • Alice Galiano
    maio 29, 2013

    Amei encontrar uma comadre com gaz ainda , abracos

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*