Almôndegas ao molho com recheio de ricota e cream cheese

É aquela coisa né… fim de ano, a gente enfia o pé na jaca, come tudo e mais um pouco, bebe que é uma beleza e quando janeirão chega… bate aquela tristeza, aquele banzo… se a calça jeans preferida custar pra fechar então…pfff.

É claro que como todo janeiro, lá em casa começamos o ano dando uma “maneirada” no cardápio. Saem as carnes, assados e churrascos mil das Festas e voltam os leguminhos, verduras… A parada integral também está rolando com força total em casa – arroz, pães e grãos mil, tudo para (tentar) dar uma resfrescada na balança e na consciência, que na verdade pesa mais do que o próprio corpo.

E alguém já ouviu falar de dieta ou alimentação pegando leve sem lembrar da bendita ricota? Pois é, ricota tem cara (e gosto) de dieta mas também é um ingrediente super versátil e que, acreditem, pode dar um up em uma receita – como aqui, nas almôndegas recheadas que, modéstia a parte, ficaram sensacionais, além de diferentes da versão basicona (que também é bem boa, claro).

Você vai precisar de carne moída, temperos (alho, cebola, sal, pimenta, canela, noz moscada, louro), 1 ovo, aveia, ricota fresca, cream cheese (usei o light né?) e tomate. Ó que fácil…

Temperei a carne moída com alho, cebola, sal, pimenta calabresa e canela (de leve). Juntei 1 ovo e algumas colheradas de aveia – o suficiente para que a carne tivesse alguma liga, mas não muita. Eu não faço questão de almôndegas perfeitas e lisinhas e às vezes faço até sem ovo ou qualquer outra coisa.

Carne temperada, fui cuidar do recheio. Juntei a ricota fresca e o cream cheese, temperei com sal e noz moscada ralada e fiz uma pastinha, com a qual consegui moldar bolinhas pequenas.

O próximo passo foi juntar lé com cré – abre um disquinho de carne, coloca lá a bolinha de ricota e fecha direitinho, tomando cuidado para que não fique nenhum buraquinho para a ricota escapar durante o cozimento.

Todas as almôndegas prontas, levei-as para uma panela com molho e deixei que cozinhassem e que o molho engrossasse.

Para o molho:

Tirei a semente dos tomates, cortei em cubos e juntei a um bom refogado de alho e cebola com azeite, pra fazer um molhinho bem levinho (ah! e uma folhinha de louro também, que molho sem louro…nhé!). Se quiser juntar ervas frescas, melhor ainda.

A dica aqui é: como as almôndegas terão que cozinhar no molho, faça-o mais ralinho. Com isso, enquanto as almôndegas levam o tempo de ficarem cozidas, o molho também vai encorpar bem e ficar bem espesso e pedaçudo. A parada é rústica, mas já sabe… se quiser um molho mais lisinho, pode processar o tomate que também fica show. Outra coisa importante: uma vez que vc colocou as almôndegas no molho, nada de mexer! Abaixe o fogo, tampe a panela, cozinhe lentamente e quando o molho estiver bem mais sequinho, tuas almôndegas estarão cozidas também.

Para acompanhar, o bom e velho arroz branco (para matar a saudade porque ultimamente mergulhei na versão integral).

Ah! E viu que nem precisa usar molho pronto, sopa de pacote ou caldo industrializado, né? Ponto para o sabor e para a saúde :)

***

Nota (nada a ver) de rainha: Na revisão do texto apaguei OITO diminutivos. Então, assim… se eu começar de novo a escrever tudo com “inho” vocês, porfa, dêem na minha cara, ok? =))))))

* post originalmente publicado no Rainhas do Lar

1 Comment
  • Conceição
    fevereiro 20, 2011

    Faby! amei sua casa nova…muito, muito sucesso…amo a forma como vc escreve e já estava com muitas saudades….bjo

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*