Salada com “pipoca” de arroz selvagem

Segunda-feira = dia internacional da dieta.
Segunda-feira logo depois da Páscoa (leia-se ‘orgia do chocolate’) = desespero.

E lá vamos nós de novo para o já manjado “mergulho na salada”. E olha, mergulhar eu até mergulho, mas salada pra mim tem que ter graça, uma bossa qualquer, sabe como é?

Feita com uma porção de folhas variadas (alface, rúcula e agrião), ervas (manjericão fresco, herbes de provence e lavanda), tomate cereja, damasco e mussarela de búfala, minha saladinha ganhou a bossa que precisava (além da crocância que todo prato precisa) com a “pipoca” feita com arroz selvagem, uma gracinha gostosa que incrementa a salada e faz um certo charme – e charme é importante, pôxa! =)

Para fazer a “pipoca” de arroz selvagem você só precisa do arroz e de uma frigideira, sem óleo, azeite, nada. É o tempo do arroz esquentar e abrir, formando uma espécie de pipoquinha super crocante, que você usa na salada ou onde mais quiser. Não é bacana? ;)

E dá-lhe dieta!

Força na peruca, gente! :))))

Tomate caprese ao pesto

A salada caprese todo mundo conhece, certo? Tomate, mussarella de búfala e manjericão temperados a gosto (geralmente com azeitonas pretas ou alcaparras também).

Bom, aqui eu fiz algumas ligeiras adaptações… – no formato: ao invés de fatiar completamente o tomate, preferi deixá-lo inteiro; – no ingrediente: eu não tinha mussarela de búfala então usei um queijo minas fresco; – no tempero: optei por um pesto ligeiro.

Resultado… troquei uma salada por uma entrada individual super elegante ou, como no meu caso, por um prato principal (porque o tomate era enorrrme e eu não aguentaria comer mais nada depois). Mas ó, esse tomate ficaria show acompanhando um grelhado também e, em versões menores, pode fazer bonito até naquele churrasco :)

Nem precisaria de passo-a-passo, mas né… eu ando tãããão boazinha! =))))

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Saladinha do aquecimento global

Nem entramos no verão ainda e o calor já dá sinais de que esse ano virá com força total. Dias quentíssimos, fins de tarde chuvosos… é, é bom a gente se preparar para o que vem por aí – é o aquecimento global mostrando que a coisa tá feia (e ainda vai piorar muito). #medo

Eu não consigo comer muito no calor… me dá um banzo, sabe? Daí eu acabo apelando para as saladas, que não são nem de longe meu tipo de prato preferido, mas com certeza são bem mais apropriadas para dias de calor do deserto, como os que andaram fazendo por aqui.

Saladas Tailandesas

A Roberta escreveu e reclamou que eu não postei o restante das receitas tailandesas e que ela aguardava ansiosa pois amanhã vai rolar um Dia dos Namorados temático na cada dela (com direito até a massagem tailandesa no final…uia!).
UAU! Grande sacada Ro, adorei e já vou tratar de postar as receitas que faltam. Aproveito para apostar TODAS as minhas fichas que essa sua noite dos namorados vai ser um arraso. Abalou comadre :)

Segue as receitas das saladas…

Yam Mamuang (salada de manga e camarões)

1 xícara de manga cortada em cubos (eu usei mangas firmes, não muito maduras)
2 colheres de amendoim torrado
1/2 xícara de camarões cozidos em água e sal
2 colheres hortelã picada
Pimenta dedo-de-moça em tiras finas (a gosto)
1/2 colher nampla
1/2 colher de suco de limão
1/2 colher de açucar
kani kama desfiado e alface roxa para decorar

Misture tudo numa travessa e deixe na geladeira até o momento de servir. Forre o prato com a alface e distribua a mistura, salpicando kani desfiado por cima.

Som Tam (salada de papaia verde)

Para 6 porções
400gr de mamão papaia bem verde, 2 colheres sopa de óleo (usei girassol), 1 dente de alho bem picado, 1 pimenta dedo-de-moça sem sementes em rodelas, 2 colheres de nampla, 1 colher (chá) açucar mascavo, 1/4 xícara de cebolinha picada, 1/2 xícara de amendoim torrado, sal a gosto.

Descasque o mamão e corte em tirinhas finas (eu usei o ralador de legumes).
Aqueça o óleo e junte o alho. Refogue até ficar macio, tire do fogo e junte ao mamão. Adicione os demais ingredientes, exceto o amendoim, misture e deixe descansar por uma hora no mínimo. Na hora de servir junte o amendoim.

***

Receitas da Cláudia Cozinha e Terra Culinária

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Salada de rosbife

Lagarto é mesmo um corte de carne muito versátil. Dá para preparar assado, cozido, com molho, sem molho, com batata, desfiado quente, desfiado frio, no formato carpaccio ou assim, como rosbife, que também é tão versátil que pode virar salada como essa ou recheio de sanduíche, ou ambos.

O lance dessa salada é o seguinte … Primeiro você vai escolher uma peça honestíssima de lagarto e vai deixá-la moooito limpa. Eu usei uma peça orgânica, que é tudo nessa vida e da qual vou falar logo mais.
Pois bem, peça honesta e limpíssima direto para a pressão com vinho branco, água suficiente para cobrí-lo, sal, folhas de louro e dentes de alho amassados (com casca e tudo).

Quando a carne estiver macia e NÃO desmachando, já é hora de tirar do fogo. Então, envolva a peça em filme plástico e leve à geladeira – nem tente cortar o lagarto quente que não vai rolar, certo? Reserve o caldo do cozimento e depois de fria, corte a peça em fatias mais finas que puder e reserve também.
*(nessa etapa já dá pra você fazer sanduíches luxo com esse rosbife, mostarda dijon, rúcula e tomates cereja)

Fatie uma cebola em rodelas finíssimas e coloque de molho em água com açúcar por uns 30 minutos antes de empregar na salada. Corte também pimentão verde, salsinha, cebolinha, azeitonas e rale uma cenoura

Pegue o caldo do cozimento e leve de volta à panela com mais um pouco de vinho (eu usei tinto), azeite extra virgem, shoyu, pimenta calabresa, acerte o sal e deixe reduzir.

Agora arrume uma travessa alternando em camadas o rosbife, a cebola, o pimentão, a cenoura com a azeitona, regando sempre com o molho que você fez lá na panela e salpicando sempre com bastante salsinha e cebolinha até finalizar os ingredientes. Caso seja necessário, coloque também mais azeite entre as camadas. A idéia é que a carne fique envolvida em molho e azeite para pegar bem o gosto.

Outra coisa, essa salada deve ser feita no dia anterior, para ficar “curtida”. O resultado fazendo no dia não é tão bom, acredite.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Lula ao vinagrete

É só ferver água com uma pitada de sal. Ferveu, coloque lá a lula já limpa e cortada em anéis (eu gosto assim, mais grossos) e deixe lá por uns 2 minutinhos. Deslige o fogo, deixe a lula lá mais uns 2 minutos e pronto, ela estará cozida.

(eu não sei se você sabe mas lula que cozinha demais é o que existe, em termos er… “alimentícios”, de mais próximo da borracha. E, por acaso você já tentou mastigar uma borracha?)

Depois, é só escorrer e temperar ao seu gosto – eu usei salsa, cebolinha, pimenta calabresa, cebola picada, azeite, vinagre e sal. Nada mais simples.

nota mental: lula com certeza entra no meu top 10 comidinhas mais deliciosas de todos os tempos… o trem gostoso, tá louco.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Salada fofinha, com figo e bolinhas de cottage com hortelã

Eu não sou lá a maior fã de salada mas confesso que quando me deparo com uma como essa, fico me questionando se não é hora de rever meus conceitos…rs.
Salada pra mim é aquela coisa…nhonha, por isso para me agradar tem que primar pela criatividade. É o que faz essa salada preparada pela Si e pela Clau – mistura sabores e texturas, brinca com o azedo e o doce e traz novidade para um prato que, vamo’ combinar, nem sempre é tão atrativo.

As meninas liberaram a receita…ó que boazinhas? ;)

Para a salada:
Alface americana, rúcula, tomate cereja e figo fresco.

Para as bolinhas de cottage:
Queijo cottage, hortelã picadinha e paciência para modelas bolinhas que dão muito, muito charme ao prato, logo, compensa o trabalho, vai por mim.

Para o molho:
Aceto balsâmico honestíssimo, gengibre ralado e mel, tudo misturado na quantidade que agradar o teu paladar.

Sirva a salada montando pratos individuais com porções de rúcula e alface, duas (ou mais) bolinhas de cottage, tomate cereja partido em 4 enfeitando bonitinho, salpique sal. O molho vai à parte e cada um se serve na quantidade que preferir.

Ó que linda! :)

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Salada de beringela e abobrinha grelhadas

Pode ser servido assim, como salada, mas também pode virar um antepasto, servido com torradinhas, pão taliano ou até mesmo pão sueco numa boa.

Primeiro eu fatiei beringela e abobrinha, deixei as fatias de molho em água com sal para não escurecer e levei para o grill. Uma vez grelhados, piquei grosseiramente e temperei com muito azeite extra virgem, vinagre, pimenta rosa, bastante salsinha, cebola e acertei o sal.

Fala, mais fácil que tirar doce de criança.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Salada de soja

Praticamente todo mundo já sabe ou ouviu falar sobre as maravilhas nutricionais atribuídas à soja. Sendo assim, não é estranho que o seu consumo no dia-a-dia ainda seja tão restrito? Bem, eu estou falando de um modo geral, pois são poucas as pessoas que eu conheço que estejam habituadas ao seu consumo.
Lá em casa porém a soja sempre entrou com mais facilidade, principalmente na forma de grão, que eu uso para fazer essa saladinha simpática que meu marido adora.

Você pode comprar o grão já sem a casca e, acredite em mim, vá nessa opção porque descascar a soja é um trabalhinho ingrato demais. Caso você opte pelo grão inteiro, vai ter que cozinhar com um pouquinho de bicarbonato para, depois de cozida, conseguir tirar a pelinha (que não deve ser consumida) mais facilmente – e se alguém souber um método mais prático, please, me ensine.

Depois de cozida, para fazer a salada eu uso o que tiver disponível na geladeira e quase sempre fico na mistura cenoura ralada + cebola picadinha + pimentão beeem picado + tomate sem pele e sem semente picado + azeitona (pouquinha) também picadinha, tempero com shoyu, pimenta calabresa e salsinha. Nessa ontem eu usei ainda os grãos de uma espiga de milho que eu já tinha cozida, pimenta dedo-de-moça picada e tomilho fresco. Para finalizar eu salpiquei semente de papoula, assim… só por frescurinha mesmo…hohoho.

Eu costumo comprar a soja, tanto na forma de grãos quanto em proteína granulada/texturizada, da marca Mãe Terra, que aliás, eu gosto muito. No site deles tem mais informações sobre os produtos, sobre suas propriedades e, segundo informações lá contidas, preenchendo um cadastro com endereço completo eles enviam livro de receitas à base de soja.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Salada Speciale com pera assada

Imagine assim, o inferno. Pois bem, é aqui. Aqui tá quente, muito quente e em dias como esse, sorry, comida não rola, o calor não deixa.

Mas, como viver só de brisa não rola, meu cardápio hoje tinha que ser leve, muito leve, extreme leve. Então minha saída foi inventar uma salada caprichada e ao invés de usar o cansativo peito de peru (porque dieta = peito de peru?) eu optei pelo Presunto Defumado Sadia Speciale, que é tão bom, mas tão bom, que a gente só deveria comê-lo puro. Ainda assim, resolvi que metade dele faria parte da minha salada (a outra metade eu comi puro mesmo), que teve ainda alface americano, agrião, cebola, pera assada e croutons feitos aqui mesmo na minha frigideira (o jeito eu já ensinei aqui).

O molho para a salada foi à base de mostarda – azeite extra virgem, limão, ervas finas (eu já disse que não gosto disso de “ervas finas” né?), sal, pimenta branca e, claro, mostarda.

Para um dia quente como hoje, so perfect.

***

A linha Speciale da Sadia tem também o excepcional Presunto Royale que, se você ainda não experimentou, deveria. Ah, deveria.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar

Salada de tomate caramelizado com gergelim e cebolinhas

A receita vem da coleção Cozinha País a País (Marrocos) e antes de mais nada cabe uma importante observação. Para essa receita o ponto principal é que os frutos tenham muita polpa e pouco sumo. Para fazer essa salada são necessários tomates carnudos, que resistam ao tempo no forno sem se desfazerem.

Pois bem, de posse dessa informação tratei de escolher os tomates apropriados e, olha, valeu a pena.
A salada não parece com nada que eu já tivesse comido em formato salada mas é muito, muito gostosa.

Para começar é preciso tirar a pele e as sementes dos tomates. Então, unta-se uma assadeira com azeite extravirgem, coloca-se os tomates com a concavidade virada pra cima, rega-se cada metade com mais azeite e leva ao forno não muito quente (120C) durante 50 minutos. Nesse ponto eu fiz uma “pequena” adaptação pessoal e coloquei também cebolinhas na assadeira, até porque me gusta muito cebola caramelizada também.
Pois bem, depois dos 50 minutos retire do forno, deixe esfriar e corte os tomates em cubos de 1 ou 2 cm (a cebolinha eu mantive inteira). Numa frigideira larga ou panela baixa (a idéia é que não junte água e nem cozinhe muito), dilua 2 colheres de sopa de mel (para 8 tomates), acrescente os tomates, pimenta moída, sal e mantenha em fogo baixíssimo por 2 minutos.
Depois, é só transferir para uma travessa, polvilhar com gergelim torrado e servir frio.

Isso para acompanhar um assado deve ser maravilhoso! Aqui em casa a aprovação foi unânime.

* post originalmente publicado no blog Rainhas do Lar