sh Category Archive for "carnes" | Pimenta no Reino

Lagarto ao Molho de Cebola

Eu já contei aqui que lagarto é dos meus cortes favoritos, tanto pela versatilidade quanto pelo sabor. Em casa rola muito – com molho, em versão fria, salada, rosbife. Esse daqui eu fiz com molho de cebola, que orna muito com a carne e eu particularmente AMO pra comer com arroz fresquinho. Há quem faça com a sopa creme de cebola de pacotinho, mas eu juro pra você que nem dá tanto trabalho fazer seu próprio molho, caseirinho e sem o sódio do pacote.

Compre uma boa peça de lagarto, limpe-a bem, retirando a gordura e tempere com alho amassado, sal e molho inglês. Na panela de pressão, aqueça um fiozinho de óleo e coloque o lagarto. Sele a peça de todos os lados, até dourar. Junte um pouco de água fervente, o suficiente para cobrir metade da carne. Tampe, coloque em fogo médio e deixe cozinhar por uns 40 minutos ou até que a carne esteja macia ao espetar a pontinha da faca. Abra a panela e confira – se ainda não estiver macia, pode ser necessário acrescentar mais um pouco de água e deixar por mais alguns minutos. Note que a carne tem que estar cozida, mas não desmanchando, ok?

Quando a carne estiver cozida, retire-a da panela e deixe esfriar um pouco antes de cortar em fatias.

Reserve o molho que se formou. Se você fez tudo direitinho, vai ficar com um caldinho dourado, lindo de viver na panela. Retire-o e leve a panela de volta ao fogo. Junte uma colher de manteiga e um fio de óleo. Acrescente 2 cebolas cortadas em meia lua não muito finas. Deixe a cebola fritar até começar a caramelizar. Acrescente 1 colher sopa de farinha de trigo e deixe cozinhar junto com a cebola, mexendo até dourar. Faça um deglacê com 1/2 xícara de vinho branco e deixe evaporar um pouco. Agora, é hora de juntar aquele caldo do cozimento do lagarto, que estava reservado. Você pode coá-lo ou não, você decide. Mexa bem, tempere com sal, pimenta e a erva de sua preferência e cozinhe até engrossar.

Acomode as fatias de lagarto na travessa, regue com o molho de cebola e providencie um arroz branco bem fresquinho para acompanhar.

Arroz com carne e especiarias


Um arroz diferente e muito saboroso, ótimo para servir em ocasiões festivas (tem ocasião mais festiva do que o Natal, hãn? rs). E o preparo é simples, olha só…

A primeira coisa a fazer é um chá de cravo. Ferva 1 xicara de água em uma panela e junte 50gr de cravo. Deixe ferver mais 10 minutos e abafe. Reserve.

Em uma panela leve para fritar com um fio de óleo 500gr de patinho moído duas vezes. Frite até que a cerne comece a grudar na panela e fique bem escura. Junte 1 cebola ralada e continue fritando até que ela murche. Junte o chá de cravo coado e deglace bem a panela, raspando bem a crostinhas que a carne formou. Tempere com sal, pimenta calabresa, 1 colher (sopa) de cominho e uma pitada de páprica doce. Mexa e deixe cozinhar até reduzir um pouco o caldo que se formou.

Cozinhe normalmente seu arroz (essa quantidade de carne é boa para umas 2 xicaras de arroz). Quando ele estiver morno, junte-o na carne moída e mexa bem para misturar. Enforme em uma fôrma de buraco. Desenforme na hora de servir (pode esquentar um pouco no forno) e salpique nozes moídas.

Foi sucesso na minha ceia e acho que vai ser na sua também. Me conta depois? ;)

Rocambole de carne com recheio de brócolis e nozes


Se tem uma coisa que nunca falta na minha geladeira é carne moída. Além de ser super coringa, na versão refogadinha com batatinha vira um dos meus pratos preferidos na categoria comfort food. Apenas amo.

Não que precise, mas tem dias que a gente consegue caprichar um pouco mais, como esse rocambole que pintou na minha cozinha para aproveitar um maço de brócolis. Ficou tão bom que veio parar aqui. E o preparo é do tipo pá-pum, olha…

Em uma tigela coloquei 500gr de carne moída e temperei com 1 cebola picadinha, 2 dentes de alho amassados, uma pitada de cominho, outra pitada de canela, pimenta calabresa e sal. Depois, juntei um ovo batido e umas 3 colheres (sopa) aveia. Daí é mão na massa para misturar tudo e deixar bem homogêneo.

O brócolis eu piquei bem picadinho, cru mesmo, juntei nozes picadas (um punhado) e temperei com sal, azeite e um pouquinho de pimenta.

Para montar o rocambole é só abrir a massa de carne em um filme plástico e colocar por cima o recheio. Com a ajuda do próprio filme, é só enrolar e fechar bem, incluisve as pontas, formando o rocambole. Para finalizar, é só fazer uma cobertura de parmesão ralado. No meu caso, como sobrou recheio, eu coloquei por cima também e acabei criando uma “crostinha” que ficou bacana.

Basta levar ao forno preaquecido por uns 30 ou 40 minutos, coberto com alumínio nos primeiros 15 minutos e depois aberto, para dourar.

Carne moída em versão glam. Adooooro :)

Medalhão suíno com crosta de brócolis e castanha

Medalhão suíno

A convite da Ajinomoto estive no lançamento do novo molho shoyu Satis, nas versões Suave e Intenso e tive a oportunidade de criar um prato com o produto em uma oficina realizada no evento.

Fiz dupla com minha xará do Figos e Funghis e a proteína sorteada para nossa dupla foi Mignon Suíno. Juntas criamos o Medalhão Suíno em Crosta de Brócolis e Castanhas do Pará, com Cebola Caramelizada e redução de Satis (usamos o intenso). A brincadeira era usar os ingredientes disponíveis e criar o prato em 20 minutos. Quer fazer também esse medalhão delícia? Fácil, ó…

Tempere os medalhões com sal e pimenta e reserve.

Faça um ligeiro branqueamento(*) no brócolis e pique-o bem miudinho. Pique também a castanha do Pará, miudinha. Junte os dois e tempere com sal e azeite extra virgem.

Sele os medalhões de ambos os lados na frigideira bem quente com um fio de azeite, até dourar. Retire e coloque em uma travessa. Por cima, faça uma crosta com a mistura de brócolis e castanha e leve ao forno preaquecido a 200C por 5 minutos para finalizar o cozimento e dar uma ligeira crocância.

Em uma panela derreta manteiga e adicione a cebola cortada em fatias grandes. Adicione um pouco de vinho branco (nós usamos prosecco) e deixe caramelizar.

Em outra panela leve ao fogo o molho shoyu Satis (a quantidade vai depender do número de medalhões que você estiver fazendo) com um pouco de açucar e uma colher (chá) de amido de milho dissolvido em um pouco de água e deixe reduzir até engrossar um pouco.

Para a montagem:

Disponha a cebola caramelizada no prato e por cima os medalhões, ao redor coloque a redução de Satis e finaliza com um fio de azeite.

* Branquear o brócolis? Não sabe como fazer?
A Dadivosa ensina <3 

Barbecue (e costelinha de coadjuvante)

 O Molho Barbecue (algumas vezes chamado de “BBQ Sauce”, nome oriundo da língua inglesa) é o nome genérico de uma variedade de molhos de sabor forte habitualmente empregados em churrasco e outros pratos com base em carne assada. Seu uso como acompanhamento para carne de porco e de frango é particularmente tradicional.

O molho barbecue inclui ingredientes doces e ácidos. Via de regra enfatiza-se o sabor defumado típico do churrasco. A receita varia, mas ingredientes típicos incluem o molho de tomate, vinagre, especiarias e adoçantes.

(fonte: Wikipédia)

Barbecue é uma coisa boa. Um molho meio doidinho que não sabe se é doce, se é salgado, ligeiramente azedinho…  Aí na definição diz que tradicionalmente acompanha carne de porco e frango. Eu ouso dizer que o porco nasceu para o barbecue, ou o barbecue para o porco, tanto faz :) O fato é que a combinação dos dois é coisa de Deus.

De modos que esse post é mais para contar o jeito como faço meu barbecue caseiro do que propriamente para dar a receita da costelinha que, coitada, virou coadjuvante do molho.

Em uma panela coloque um fiozinho de óleo e 1/2 cebola picada (ralada seria ideal, mas né, viva o molho rústico!). Deixe a cebola murchar (não precisa dourar!) e junte 1/2 xícara de açucar mascavo e 1/2 xícara de vinagre (use o branco, mas evite o de limão). Mexa para dissolver o açucar e acrescente uns 70ml de molho inglês (praticamente meia embalagem daquelas tradicionais de 150ml), 2 xícaras de catchup, 3 colheres de extrato de tomate, 1 colher (sopa) de páprica doce (ou picante, se preferir), louro (umas 2 folhas pequenas), 3 cravos, um pitada de cominho e sal e pimenta do reino a gosto. Agora é só juntar mais ou menos 1 xícara de água, mexer bem e deixar cozinhar até engrossar.

Super fácil e super gostoso. O molho se conserva bem na geladeira (essa foto eu salvei quando tinha só um restinho no vidro) e você pode usar na costelinha e depois no churrasco, no filé de frango e, claro, no hambúrguer, que também fica sensacional. Retire o louro e os cravos e guarde em um vidro fechado.

Ah sim, a costelinha…

Não tem segredo. Na véspera, coloque a costelinha em um saco plástico daqueles tipo ziplock e acrescente suco de limão (para uns 2 kg de costelinha use o suco de uns 2 limões), sal, pimenta calabresa, um fio de azeite e alecrim. Se quiser, junte um pouco de mel – ele deixa a carne mais douradinha e já dá um adocicado.

Na hora de assar, ela vai para forno médio coberta com papel alumínio por uns 40 minutos. Depois retira o alumínio e deixa que ela doure um pouco para então começar a pincelar o barbecue. Pincela uma camada generosa e volta para o forno mais 5 minutos. Retira, repete a operação mais duas vezes, até que ela fique assim…

Baba baby, baba :P

Cozido de alcatra com café


E você nem imaginava que dava para cozinhar com café? Pois dá! E dá pra fazer esse cozido maravilhoso.

A receita veio da Claudia Cozinha, com algumas alterações minhas…

Aqueci 1/2 xícara de manteiga numa panela e juntei a alcatra limpíssima cortada em cubos e um fiozinho de óleo (para a manteiga não queimar). Fritei até começar a dourar, acrescentei 1 colher de sopa mais ou menos de açucar mascavo, juntei 2 dentes de alho amassados e 150gr de cebolinhas em conserva (a idéia não era essa – a receita manda usar cebolas pequenas mas eu só tinha as grandes e queria cebolinhas redondinhas!). Fritei até dourar, juntei 2 colheres sopa de farinha de trigo, sal e pimenta do reino e fritei mais. Adicionei 1 copo de vinho tinto seco, 1/2 copo de café bem forte (pronto né minha gente? dã!) e 2 copos de água. Abaixei o fogo, tampei a panela e cozinhei por quase uma hora, acrescentando mais água quando foi preciso.

Detalhes tão pequenos…
:: a receita pede alcatra mas eu acho que ficaria beeem melhor com mignon, mesmo ele tendo um tempo de cozimento mais curto;
:: eu usei a cebolinha em conserva, que é mais ácida, e por isso usei o açucar mascavo, para equilibrar – se você usar a cebola comum, que é mais adocicada, lime o açucar mascavo da sua lista de ingredientes;
:: o café precisa ser forte mesmo, senão o sabor some ok?

Servi com arroz branco e batata noisette.

(receita originalmente publicada no Rainhas do Lar)

Guisado de carne com amendoim


No último final de semana recebi em minha casa o colombiano Cristhiam, namorado de uma grande amiga e entusiasta da cozinha. Deleguei o comando da cozinha e das panelas a ele, que propôs nos apresentar um prato muito comum do Sudoeste da Colômbia – um guisado de carne com amendoim. E assim foi.

Só posso dizer que o resultado final foi incrível – carne macia, saborosa, um sabor muito bom e diferente do que estamos acostumados – eu curti. Para acompanhar, a simplicidade de um trio que faz sucesso também por aqui – arroz branco, batatas cozidas e salada.

Minha sugestão é que vocês reproduzam a receita do moço. Por aqui, todos os convidados do jantar ficaram muito surpresos com a combinação e adoraram. O cozinheiro, generoso, compartilha conosco a receita (com ligeiro sotaque na escrita…rs). Conta tudo, Cristhiam…

Ingredientes (4 pessoas)

800g de carne cortada en quadrinhos (alcatra)
300g de amendoin cru
400g de tomate picado fino
400g de cebola picada fino
500g de batata
alho, sal, pimenta, açafrão e caldo de carne.

Modo de preparo

Antes de colocar no guisado, o amendoin precisa ser torrado e moído até o ponto de pasta.
O amendoim pode ser torrado na frigideira no fogão, depois ele pode ser levado até o ponto de pasta usando o liquificador e um pouco de água (se liquifica, de desliga o liquificador, se mistura com uma colher de pau e se liquifica de novo… repita o processo até conseguir a pasta).

A carne é marinada no dia anterior com alho, sal, pimenta, vinagre ou vinho e deixada na geladeira.

A carne já marinada se sela com um pouco de óleo na panela onde se preparara o guisado, vai retirando depois de selar.

Nessa mesma panela, com o óleo restante, coloca o tomate e a cebola para refogar.

Depois coloca de volta a carne e água suficiente para cobrir todos os ingredientes (pode colocar mais sal, com cuidado já que a carne tem), inclui o caldo de carne e o açafrão na mistura.

Depois que a carne estiver bem cozida vai colocando a pasta de amendoim em partes pequenas diluindo bem. Uma vez colocada toda a pasta deixa ferver por uns 5min misturando com a colher ocasionalmente.

Em outra panela cozina as batatas cortadas em metades e com casca com sal.

Servir colocando as batatas com o molho do guisado acima delas.

 

Dobradinha

Fez cara de nojinho? Ok, pode parar a leitura aqui, prometo que solto uma receita com filé mignon logo mais e nosso amor continua o mesmo, combinados? ;)

Já você que, como eu, adooooora o prato, pode babar à vontade porque ó… modéstia às favas, minha dobradinha é danada de boa! E não tem grandes mistérios não, dá uma olhada…

O primeiro passo é limpar o bucho. Eu prefiro comprá-lo sempre na feira ou no açougue, onde já peço para dar aquela primeira limpada e cortar (eu gosto dele mais grosso, mas aí é você quem decide). Já em casa, é preciso lavar em água corrente e deixar de molho em água com limão espremido por uns, sei lá, 15 minutos. Depois, é preciso dar uma primeira fervura em água com uma colher de sobremesa de bicarbonato. Descarta-se a água dessa primeira fervura e lava-se de novo o bucho, para retirar a gordura que sobrou. Mais uma fervura (também com bicarbonato) e outra lavagem e ele já deve estar pronto para começar o cozimento.

Na panela de pressão coloque água suficiente para cobrir o bucho, uma folha de louro, uns 4 ou 5 cravos, sal, pimenta e o bucho e cozinhe por uns 45 minutos ou até que ele esteja macio. Retire da panela, escorra a água que sobrou na panela e reserve o bucho.

Em outra panela cozinhe o feijão branco (que já deve ter ficado de molho na véspera) até que fique macio porém firme.

Agora é a hora de juntar tudo – numa panela coloque um fio de óleo e doure o bacon. Descarte um pouco da gordura que se formou e doure o alho e a cebola. Junte a calabresa em rodelas e deixe dourar um pouco. Traga o bucho para a panela, mexa e junte o feijão branco cozido e escorrido. Agora é hora de temperar – uma pitada de cominho, páprica, sal e pimenta calabresa e uma colher de polpa de tomate ou, um ou dois tomates pelados. Só mexer bem, juntar um pouco de água fervente e deixar tudo cozinhando junto e apurando por uns 30 minutos. Ao final, é só desligar a panela e acrescentar cheiro verde picadinho.

Pronto! Providencie um arroz branco fresquinho, um vidrinho de pimenta porreta e pire na comida…er… “exótica”(como alguns gostam de chamar).

Tem batata e tem carne seca (só não tem nome :)


Algumas vezes a gente vai pra cozinha sem saber ao certo o que vai cozinhar – o resultado vai depender daquela vasculhada básica na geladeira e na despensa, do humor, da disposição, do tamanho da fome… de modos que às vezes a gente pensa em uma coisa e acaba saindo outra completamente diferente.

Eu tinha um restinho de carne seca desfiada e pretendia fazer um risoto. Só que o parmesão não existia e a manteiga era pouca. Uma batida de olho na fruteira e lá estavam umas batatas já quase ficando verdes me chamando, fazendo com que eu não conseguisse prestar atenção em mais nada (batatas podem ser bem impertinentes quando querem…rs)

Ok, eu tinha batatas que precisavam de providência e carne seca. Dava pra sair um escondidinho, mas rolava também uma ligeira preguicinha (tem dias que amassar batata parece uma tarefa hercúlea, não tem?) que me fez apenas e tão somente juntar lé com cré, cobrir com mussarela e levar ao forno. Porque a vida às vezes é simples assim :)

Três passos de gostosura:

1. Carne seca desfiada refogada com alho, cebola, pimenta biquinho e cheiro verde.
2. Batatas ligeiramente cozidas cortadas em rodelas.
3. Mussarela (ou o queijo que teu coração mandar)

Pincela azeite numa refratária e monta as camadinhas: batata + carne seca + batata + queijo. Forno médio pré-aquecido até o queijo criar crostinha (tudo assim, no diminutivo mesmo, pra ficar bem meigo).

***

Batata e carne seca é uma delícia, eu sei, mas delícia mesmo foram os comentários no Facebook do blog, a respeito do nome que eu poderia dar para esse prato, que não é um gratinado, não é um escondidinho e, na verdade, não é nem uma receita por assim dizer ;)

As sugestões são tão gostosas que tenho que compartilhar…

– Parmentier de viande sechée (da minha amiga Silvia, a japa-francesa mais chic do mundo!);
– Misturinha (a Jandira pegou bem o espírito da coisa);
– Batata Maria Bonita (da Irene, que lançou mão de uma figura histórica e arrasou);
– Inventadinho de carne seca (da Flávia, que jogou a fofura lá pra cima);
– Reveladinho de batata  (a Dadi invertou as bolas e eu adorei);
– Revuelto de carne (ui! A Tina foi numa pegada latina que eu achei babado também)

E ainda teve a Khrisna, que tem sangue indígena correndo nas veias e mandou um “Jaroba de carne seca” (achei jaroba uma coisa meio assim) e o Lito, que soltou um “Gratinado de batata com carne seca sem creme”, mais literal impossível :)

Não me diga que você ainda não foi na página do Pimenta no Facebook?  Cooooooorrrrre!

Sanduba de pernil

Gente, pernil né? Tem como não amar MUITO pernil? Não, não tem.

Então, tem aquela coisa de que pernil é só pra Natal, Reveillon, que tem que assar horas e horas, que tem que temperar de véspera… que nada! TYá na hora de acabar com esse mito!

Vai receber uns amigos em casa para tomar umas cervejas e jogar conversa fora? Esqueça o fogão, o risoto, as massas e invista em um pedaço de pernil, pães franceses fresquinhos e seus convidados te amarão para sempre. E você nem vai precisar ficar dando plantão na beira do fogão porque vai preparar o pernil com antecedência e ficar linda e loura só esperando o povo. Olha que batutinha…

Compre um bom pedaço de pernil, levando em conta que o rendimento dele não é muito alto, ok? Tire parte da gordura (se ele já não estiver limpo), coloque um fio de óleo numa panela de pressão e bote o pernil lá (se não couber, pode cortar em pedaços grandes). Agora, deixe o pernil dourar. Vá mexendo, de modo que todos os pedaços ganhem cor.
Quando a carne estiver dourada, comece a acrescentar os temperos: primeiro, bastante alho e cebola, que devem dourar também. Depois, sal e pimenta (eu usei a calabresa), folha de louro, um pitadinha de cominho … mexe tudo, cobre o pernil com água fervendo, fecha a panela e cozinha na pressão por uns 30 minutos.

Quando abrir a panela, a carne deverá estar cozida, já quase sem líquido. Se não estiver cozida, junte mais água e volte para a pressão. O ponto certo da carne é quando vc usa um garfo para mexer e ela se desmancha.

Ok, uma vez cozido é hora de incrementar seu pernil. Junte alguns tomates cortados em rodelas e deixe que cozinhem até desmanchar. Depois, prove o tempero e se for preciso corrija sal e pimenta (se seus amigos forem bravos, pode acrescentar pimenta dedo de moça picadinha sem semente). Por fim, acrescente pimentão e mais duas cebolas cortadas em meia lua. Se for preciso, acrescente um tantinho mais de água, apenas o suficiente para deixar o pimentão e a cebola macios.

Desligue o fogo e junte cebolinha picada, ou cheiro verde, ou coentro, ou manjericão…

Pronto! Agora é só rechear o pão e servir :)


Fácil, prático e delicioso! 

Coração de alcatra com vegetais assados

Um prato numa vibe meio Jamie Oliver, sabe assim? Uma carnona de respeito – no caso, coração de alcatra maturada – e um acompanhamento ligeiro e saboroso (que eu já mostrei aqui ó). Aqui em casa é o tipo de prato que faz os olhinhos do marido brilharem ♥

E é tudo jogo rápido…

Você vai precisar de um bom corte de carne, alho, ervas, azeite, sal grosso (usei defumado) e pimenta calabresa.

Em um pilão amasse os dentes de alho, o sal grosso, a pimenta e as ervas com azeite. Com essa mistura bezunte os filés (que devem ser grossos) e deixe descansar por uns 5 minutos.

Esquente bem a grelha ou frigideira e sele a carne por 3 minutos de cada lado (para ter uma carne rosada no centro). Transfira para uma tábua de corte e espere uns minutinhos, para que a carne absorva seus sucos. Depois, corte em tiras e disponha lá na travessa onde você já colocou os vegetais assados.

É fácil, rende bem e é o tipo de prato que faz sucesso em um jantar entre amigos. Você pode preparar os vegetais anteriormente, temperar a carne e deixar apenas para selar na hora de servir. Vai ser sucesso, garanto.